De acordo com a rede BBC e a agência de notícias francesa AFP, o marroquino Younes Abouyaaqoub (22), motorista da van usada no atropelamento em massa ocorrido na Avenida Las Ramblas, em #Barcelona, foi morto [VIDEO] nesta segunda-feira (21) pela polícia espanhola.

Abouyaaqoub era o último integrante do grupo composto por 12 terroristas que participaram dos atos violentos em solo espanhol na semana passada que ainda estava livre. Todos os outros jihadistas ou foram detidos pelas autoridades (quatro deles) ou acabaram morrendo tanto em confrontos com a polícia quanto em uma explosão acidental que aconteceu em uma casa em Alcanar, enquanto eram confeccionadas bombas caseiras feitas a partir de um estoque de 120 botijões de gás que seriam usados em mais ataques [VIDEO].

Publicidade
Publicidade

Na referida explosão, uma das vítimas fatais foi Abdelbaki Es Satt, um imã (autoridade religiosa do Islamismo, o equivalente a um padre ou rabino) de 40 anos que se acredita ser o responsável pela radicalização dos integrantes do grupo.

As vítimas dos terroristas e o cerco a Abouyaaqoub

Ao todo, os terroristas realizaram três ações diferentes na #Espanha: em Barcelona, 13 pessoas morreram na quinta-feira (17) devido ao atropelamento, e enquanto fugia da cena do crime, Younes Abouyaaqoub assassinou um motorista a facadas para roubar seu carro. Além disso, uma mulher morreu na cidade de Cambrils na sexta-feira (18), também vítima de atropelamento – sendo que nesta última localidade, todos os cinco extremistas envolvidos foram abatidos pela polícia.

O cerco a Abouyaaqoub se deu no município de Subirats, situado a aproximadamente 40 km de distância de Barcelona.

Publicidade

As autoridades chegaram ao criminoso após receberem duas pistas diferentes, sendo que uma delas veio um policial que fazia patrulhas perto de uma estação de trem.

A outra dica foi fornecida por um funcionário de um posto de gasolina que viu o jihadista e notou que ele usava um casaco pesado, apesar do calor que estava fazendo no momento.

Segundo Josep Lluis Trapero, chefe de polícia da Catalunha, Abouyaaqoub foi localizado enquanto tentava se esconder em um vinha. No momento da abordagem, o marroquino abriu sua jaqueta, mostrou o que parecia ser um cinturão de explosivos preso ao corpo e gritou "Allahu Akbar" ("Deus é Grande" em árabe) – momento em que as autoridades dispararam suas armas e abateram o criminoso.

Depois que o suspeito foi baleado, os oficiais utilizaram um robô para determinar se era seguro fazer uma aproximação, e foi constatado que os explosivos eram falsos – fator que acabou atrasando na identificação oficial do terrorista.

Apesar do desmantelamento da célula de extremistas, as autoridades espanholas declararam que investigações continuam em andamento. #Ataque Terrorista