Publicidade
Publicidade

O site jornalístico Breitbart publicou uma reportagem que fala sobre um problema social na Europa. Com um número cada vez maior de imigrantes no país, eles são explorados e, muitas vezes, usados para serviços sexuais.

Já tinham sido feitas denúncias no passado de homens que abusaram mulheres na Europa, mas agora a acusação recai sobre as senhoras ricas da região. Carentes, como mostra um relatório divulgado na Áustria, elas estão pagando grandes quantias em euros para rapazes jovens serem seus escravos sexuais.

Senhoras carentes pagam muito dinheiro para refugiados virarem seus escravos sexuais na Europa

A prática está se tornando cada vez mais comum no continente.

Publicidade

Elas preferem quase sempre rapazes jovens e sem emprego.

Além de pagarem pelo sexo, as senhoras dizem que arcam também com todas as despesas dos homens que viram seus escravos. Muitos dos jovens refugiados foram para a Áustria sem família, o que facilitou a prática da nova situação que, para alguns, é vista como crime.

Mulheres pagam tudo para homens que topem transarem com elas várias vezes ao dia

Esse tipo de mulher até ganhou um nome na região. Elas são chamadas de "mãe de açúcar", pois topam pagar todos os gastos dos rapazes que, sem condições financeiras, aceitam os benefícios em troca de sexo.

Um dos refugiados comentou a situação. Aos 24 anos, Hassan revela que havia fugido do Iraque para o país Europeu e que foi acolhido por Linda, uma mulher de 50 anos. Eles se conheceram em um bar e a mulher até o implorou para que ele fosse morar com ela.

Publicidade

'Ela quer fazer sexo comigo mais de quatro vezes por dia, sou apenas uma máquina para ela', diz refugiado que virou escravo sexual em troca de dinheiro

Linda paga tudo para o rapaz, até uma academia, que é onde ele fica boa parte do dia. Apenas a academia custa mais de R$ 400, fora os custos com alimentação balanceada.

O problema é que Linda é uma predadora. Hassan explicou que em um único dia a mulher chega a querer com ele sexo mais de quatro vezes por dia. Ainda assim, ele afirma que não a deixará, pois não tem como sobreviver sozinho.

'Muitos desses homens são sem-teto', revela representante do governo Austríaco

Em entrevista sobre o tema, uma representante do Centro de Saúde Masculina do país europeu, Manfred Buchner, revelou que muitos dos homens que estão nessa condição são realmente muito dependentes das #mulheres, em alguns casos até mesmo sem-teto. Ela diz que alguns pedem ajuda, mas outros sofrem calados. #Imigração