Publicidade
Publicidade

Há muitos relatos que refugiados muçulmanos e africanos estão atacando pessoas na Europa e cometendo crimes como violações. No entanto, há outro fenômeno que não é falado quase tanto, que é o fato de que milhares de #mulheres em toda a Europa que estão aliciando refugiados se tornarem seus escravos para satisfazer seus desejos sexuais [VIDEO], como mostra um recente relatório divulgado na Áustria. Uma reportagem publicada pelo portal de notícias Breitbart relata que esta tendência está crescendo cada vez mais no país.

Segundo o portal, várias mulheres estão atraindo homens jovens para serem seus escravos sexuais, em troca de dinheiro e pagamento de todas as despesas deles.

Publicidade

Durante a crise dos imigrantes, a grande maioria dos refugiados que foi para a Áustria era formada por homens jovens, muitos deles viajando sozinhos.

Alguns deles estão sendo alvos de islamitas, gangues de drogas e também de mulheres idosas e ricas em busca sexo [VIDEO]. De acordo com o relatório divulgado, a tendência está crescendo constantemente e agora muitos migrantes jovens dependem dessas mulheres identificadas como "mãe de açúcar" por seus benefícios financeiros em troca de sexo.

Um refugiado identificado como Hassan, de 24 anos, que fugiu do Iraque para a Áustria, disse que uma mãe de açúcar de 50 anos, conhecida como Linda, se aproximou dele em um bar. Eles beberam e, em seguida, Linda o convidou para ir até à casa dela, onde eles mantiveram relações sexuais. Ambos começaram a namorar depois disso e a #Mulher até o implorou para se mudar.

Publicidade

Hassan revelou que Linda paga por tudo, incluindo uma mensalidade de 120 euros (R$ 442) em uma academia de ginástica de luxo no Viena. A vida parecia muito boa para ele. A única queixa de Hassan era que Linda queria muito sexo.

Na verdade, ele disse: "Ela quer fazer sexo comigo quatro vezes por dia, sou apenas uma máquina de sexo para ela, nada mais". Apesar da demanda sexual esmagadora de Linda, Hassan disse que não a abandonaria porque é dependente dela financeiramente. De acordo com Manfred Buchner, do Centro de Saúde Masculina da Áustria, os requerentes de asilo permanecem nessas relações porque se tornam dependentes das mulheres.

"Existe uma grande dependência. Não só mentalmente, mas também materialmente. Muitos desses homens são sem-teto ", disse Buchner. Aparentemente, antes que os refugiados chegassem à Áustria, as mulheres locais viajariam para países africanos apenas para fazer sexo com homens lá, e eles chamariam de "férias sexuais". Agora que os refugiados estão prontamente disponíveis na Áustria, as mulheres os exploraram para cumprir sua gratificação sexual.