Publicidade
Publicidade

A revista Marie Claire dos #Estados Unidos recém publicou que um júri de Los Angeles, nessa segunda-feira (21), ordenou que a Johnson & Johnson pagasse a imensa quantia de 417 milhões de dólares a uma mulher hospitalizada, que processou a empresa sob a acusação de que o talco da icônica empresa, quando usado com frequência na higiene feminina, pode causar #câncer no ovário.

A empresa Johnson & Johnson já recebeu outros processos por conta do talco, mas nunca foi penalizada [VIDEO] com uma quantia tão grande. A mulher que ganhou o processo é Eva Echeverria que alegou que a empresa falhou em não alertar os consumidores para os riscos de câncer, no tocante ao uso do famoso talco.

Publicidade

Eva usava o talco diariamente desde 1950. Em 2007, ela foi diagnosticada com câncer nos ovários.

O advogado de Ana Echeverria, Mark Robinson, disse o seguinte:

“A sra. Echeverria está morrendo por conta do câncer nos ovários, por utilizar o talco da empresa por mais de 30 anos. Ela não quer que sintam pena dela, ela quer que a mensagem seja passada para outras mulheres”.

A indenização

O júri concedeu 68 milhões de dólares por danos causados e mais 340 milhões de dólares em punição. As evidências no caso incluem documentação de várias décadas [VIDEO] e mostrou, sem sombra de dúvida, que o causador do câncer que Ana tem nos ovários foi o talco da Johnson & Johnson e mais, também ficou evidente que a empresa sabia dos danos que poderiam causar.

Carol Goodrick, relações públicas da empresa, disse que a Johnson & Johnson vai recorrer da sentença e que, apesar de se solidarizarem com a situação de Ana Echeverria, não há comprovações científicas suficientes que embasem o argumento de que há perigos no famoso talco de bebê da marca.

Publicidade

Outros casos semelhantes contra a mesma empresa

Houve outros processos similares a esse, no ano passado, contra a mesma empresa e o mesmo produto e condenações de montantes de 72 milhões, 70,1 milhões, e 55 milhões de dólares, que juntos perfazem um total de 307,6 milhões de dólares.

Também houve casos em que a lei não reconheceu a empresa como a causadora do câncer no ovário de outras mulheres que processaram, por falta de provas.

Mais de 1000 mulheres entraram com processos semelhantes e muitas delas ganharam a causa, mas receberam um valor bem abaixo do recebido por Ana Acheverria.

De acordo com Goodrick, a Johnson & Johnson está se preparando uma grande defesa para si e também ao talco de bebê, da marca, nos próximos casos que acontecerão no júri dos Estados Unidos. Há outros processos em andamento com a mesma acusação. #Johnson & Johnson