Publicidade
Publicidade

Até onde uma pessoa pode controlar um sentimento amoroso [VIDEO] por outra, mesmo sabendo que isso poderá não acabar nada bem? Será mesmo que o ser humano gosta mais do amor “proibido” pelo fato de ter um “sabor” diferente dos demais relacionamentos? Uma das coisas mais normais é as pessoas se apaixonarem umas pelas outras, trocarem juras de amor e promessas eternas no auge da #paixão. Sem nenhum problema até aí, mas o problema mesmo é quando alguém se apaixona por outra pessoa que está cumprindo pena numa prisão. E foi justamente isso que aconteceu no Reino Unido. Uma delas é uma carcereira e a outra um presidiário, então dificilmente existiria uma possibilidade de isso acabar bem.

Publicidade

O caso aconteceu mais precisamente no ano passado, mas como teve seu julgamento apenas esse ano, só agora ficou mais conhecido do grande público e principalmente quando divulgado amplamente na internet. A britânica, de apenas 27 anos, conhecida como Chelsea Blackwell, que era funcionária de uma prisão localizada na cidade de Aylesbury, no Reino Unido, se apaixonou perdidamente pelo prisioneiro de nome Emmanuel Calender-Scott, de 21 anos. Este cumpria pena por violência. O romance durou tempo suficiente para que houvesse dezenas e dezenas de ligações entre os dois, cartas de amor calorosas cheias de palavras “quentes”, ou seja, trocaram quase todo tipo de coisa que um casal descomprometido com a justiça também faz. No calor da paixão, acabaram sendo descobertos e foram denunciados à justiça, que, de prontidão deu início a um processo que complicou bastante a vida dos dois amantes.

Publicidade

Um dos fatores que ainda é mistério na investigação policial é o fato de que Emmanuel estava de posse de um aparelho telefônico. Chelsea nega a todo custo que não facilitou de forma nenhuma a entrada de celular na cadeia, o que possivelmente seria um agravante que complicaria ainda mais o seu problema. Ao todo, foram registradas mais de 850 mensagens enviadas para o celular de Emmanuel e todas originadas do aparelho celular de Chelsea. A maioria dessas mensagens eram obscenas, ou seja, de cunho sexual [VIDEO]. Pra piorar a situação da funcionária do presídio, a polícia também descobriu que ela fez mais de 100 ligações para o celular do detento e ainda mandou algumas cartas de amor para Emmanuel. O romance proibido realmente estava acontecendo com todo o gás. Após o julgamento, a coisa toda terminou de uma forma trágica. Chelsea foi condenada a oito meses por abuso de poder. Em países em que a lei funciona sem exceção para todos, a impunidade passa distante. #Amor Proibido #crime passional