Publicidade
Publicidade
2

De acordo com a rede BBC e a agência de notícias Reuters, desde a última segunda-feira (7) morreram [VIDEO] pelo menos 60 crianças que estavam internadas em um hospital público localizado no Estado de Uttar Pradesh, na Índia, e a imprensa do país está afirmando que estas fatalidades – 30 das mortes foram registradas apenas entre quinta (10) e sexta-feira (11) – ocorreram porque a empresa privada que fornecia oxigênio ao estabelecimento médico retirou seus equipamentos do local por não estar recebendo os pagamentos devidos.

O governo local admitiu que, de fato, o fornecimento de oxigênio foi cortado, mas alegou que não foi este o motivo das fatalidades.

Publicidade

Anil Kumar, funcionário público do distrito de Gorakhpur, disse que as mortes ocorreram em função de causas "naturais", uma vez que muitos dos pacientes foram admitidos em uma condição de saúde considerada crítica.

Segundo informações divulgadas pelo hospital Baba Raghav Das, 34 das vítimas eram bebês que estavam sendo atendidos na unidade de terapia intensiva neonatal, enquanto que outras 12 crianças faleceram devido a encefalite. O estabelecimento afirmou ainda que as mortes restantes teriam ocorrido por motivos não especificados.

Condições precárias do sistema de saúde público

Conforme relatou a rede BBC, Uttar Pradesh se encontra em uma das regiões mais pobres da Índia, e naquele Estado são catalogadas centenas de mortes de crianças todos os anos (o número aumenta principalmente na estação chuvosa das monções), que são acometidas por várias doenças – entre as quais encefalite, comumente causada por água ou alimentos contaminados, além de mordidas de mosquito e outros vetores.

Publicidade

Sidharth Nath Singh, ministro da Saúde daquela unidade federativa indiana, também refutou a alegação de que as mortes em Baba Raghav Das aconteceram por falta de oxigênio, ressaltando que os óbitos registrados diariamente no hospital durante o mês de agosto, nos últimos três anos, ficou em uma média que variou entre 19 e 22 fatalidades. No entanto, Singh não especificou se estas estatísticas estão relacionadas exclusivamente com crianças [VIDEO].

A Índia está entre os países que menos gastam em #Saúde pública, reservando apenas um por cento da arrecadação do seu PIB para o setor. De acordo com a Reuters, os governos sucessivos daquele país enfrentam críticas frequentes por não tomarem a iniciativa de reformar o sistema sobrecarregado, que ainda sofre por falta de médicos e infraestrutura precária. #India #Medicina