Desde a década de 1970, um misterioso [VIDEO] #sinal de #rádio de baixa frequência, 4625 kHz, emanado por uma estação russa ainda não identificada, ouvido 24 horas por dia, sete dias por semana, intriga especialistas e gera diversas teorias conspiratórias.

Na extensa reportagem sobre o assunto, feita nesta quarta-feira (2) pelo grupo midiático BBC e reproduzida pelos jornais britânicos Daily Mail e Express, o professor David Stupples, especialista em inteligência de sinais da City University, de Londres, analisa a anomalia e comenta o assunto – confira as manchetes.

Porém, até o momento, a imprensa salienta que os enigmáticos sinais, uma mistura de números e palavras aparentemente sem sentido, que podem ser ouvidos em todo o mundo, foram rastreados numa região próxima a São Petersburgo (Rússia [VIDEO]).

Publicidade
Publicidade

A Frequência, apelidada pelos entusiastas de ‘’The Buzzer’’, ‘’MDZhB’’ ou simplesmente “UVB-76”, teve sua origem identificada numa região de estruturas singulares, composta por portão de ferro retangular enferrujado, diversas torres de rádio e edifícios abandonados, além de linhas de energia delimitadas por uma parede de pedra seca, de acordo com a BBC. Todavia, vale ressaltar que não há consenso sobre onde a estação funciona, pois o lugar descoberto estava inutilizado.

Embora existam diversas especulações quanto ao propósito das mensagens, inclusive, uma onde teóricos da conspiração afirmam que elas servem de sinais para alienígenas na Terra, a ideia mais aceita, mas não menos sinistra, sugere que elas são utilizadas como aviso final para o disparo de bombas nucleares pela Rússia.

Publicidade

Na ocasião, a estação fantasma deixaria de funcionar após o país sofrer um hipotético ataque nuclear, desencadeando uma brutal reação da nação governada por Vladimir Putin, ex-KGB. “No caso de a Rússia ser atingida por um ataque nuclear, o sinal vai parar e desencadear automaticamente uma retaliação”, comenta a jornalista Zaria Gorvett.

Nesse cenário apocalíptico, de bombas nucleares sendo disparadas pela Rússia e outra nação (entenda Estados Unidos), o mundo seria aniquilado. Contudo, para o professor Stupples, especialista em inteligência de sinais da City University, que estudou a emblemática transmissão, “não há absolutamente nenhuma informação no sinal".

Afinal, quem manipula a misteriosa estação?

Qualquer pessoa, independente do país, que sintonizar na frequência 4625 kHz, além de monótonos sons sem sentido, ouvirá, uma ou duas vezes na semana, uma voz, às vezes masculina, outras feminina, dizer basicamente duas palavras em russo: “dinghy” e “especialista em agricultura”.

Apesar da incógnita relacionada aos responsáveis pela transmissão, a reportagem da BBC sugere que a hipótese mais aceita vincula a estação às Forças Armadas da Rússia – que até hoje nega.

Publicidade

Ou seja, o enigma permanece. Aliás, tudo que envolve o ”MDZhB” é especulativo, menos o sinal em si, que pode ser ouvido até mesmo por você, caro leitor.

Baixa frequência, longo alcance

Ainda que para os leigos, o termo “baixa frequência” pareça indicar um sinal fraco, de pouco alcance, na verdade ocorre o contrário. Toda rádio de alcance internacional, por exemplo, opera em frequência relativamente baixa, as chamadas “ondas curtas de rádio”.

“Isso significa que, em comparação com sinais de rádio, celular e televisão locais, menos ondas passam por um único ponto a cada segundo. Isso também significa que eles podem viajar muito mais”, explica a BBC.

Confira abaixo sons do ‘’The Buzzer’’. No segundo vídeo é possível escutar uma transmissão vocal.

#Russia