Publicidade
Publicidade

Compreendidos como pessoas emocionalmente equilibradas, os monges, praticantes da filosofia budista, na maioria das vezes parecem ser calmos, reflexivos e pacifistas. Porém, essa percepção que os habitantes do Ocidente têm dos budistas não corresponde à realidade dos fatos.

Assim como acontece em vários países, onde líderes religiosos roubam dos fiéis, ostentam luxo e enganam para adquirir seguidores, o mesmo ocorre entre eles.

Um exemplo é o #Monge budista Wirapol Sukphol. Acusado de ludibriar os seguidores pobres da Tailândia e adquirir milhões a partir de fraudes. Ele estava refugiado nos Estados Unidos [VIDEO] até julho deste ano, para onde fugiu em 2013.

Publicidade

Porém, a pouco tempo autoridades tailandesas conseguiram extraditá-lo ao país, onde será julgado pelos crimes [VIDEO] cometidos.

Agora, outra polêmica envolvendo monges budistas repercute em tradicionais jornais do Reino Unido, nesta terça-feira (29). Embora o episódio não tenha relação com práticas criminosas, ele atrai atenção devido a ausência de autocontrole – confira as manchetes.

Na ocasião, dois monges da #Birmânia, pequeno país que faz divisa com a China, Laos e Tailândia, são flagrados num momento de fúria.O motivo da confusão permanece desconhecido.

Publicidade

Porém, a testemunha Myat Kyaw, autor da filmagem, conta que eles descem do ônibus discutindo. Ao caminharem pela rudimentar estrada de terra, um dos envolvidos é dominado pela ira e agride o colega com um guarda-chuva, na frente dos habitantes.

Os moradores, aparentemente perplexos com a cena, apenas assistem ao incomum episódio sem interferir. Como ninguém impediu a luta, um dos monges desiste de revidar. Ele arruma as clássicas vestes de coloração alaranjada e se afasta.

Kyaw, que gravou a violência, repudiou a atitude dos seguidores de Sidarta Gautama. “Esses monges devem ter vergonha do que eles fizeram”, comentou.

Apesar do acontecido, o budismo, assim como qualquer religião, oferece ferramentas para o homem lapidar o caráter e a moral.

Todavia, sentimentos negativos como a ira, a inveja, o rancor, a vaidade, o egoísmo e tantos outros, são absorvidos de forma mais abrangente pelo ser humano.

Afinal, se fosse o contrário, as religiões e a filosofia seriam desnecessários. Como disse Dalai Lama: “O inimigo comum de todas as disciplinas religiosas é o egoísmo da mente, pois é a causa da ignorância, da cólera e do descontrole, que originam todos os problemas do mundo”.

#Briga