Valerie Plame Wilson é ex-espiã da CIA [VIDEO], a Agência Central de Inteligência norte-americana, e está realizando uma vaquinha para juntar dinheiro e comprar o Twitter [VIDEO]. A prática é conhecida como crowdfunding e se tornou comum entre as pessoas que têm um projeto, mas falta recurso para realizá-lo, por exemplo, gravar um DVD, escrever um livro e assim por diante. Só que neste caso, o que chama a atenção é a meta da ‘’vaquinha virtual’’, pois Valerie quer comprar uma das redes sociais mais famosas do mundo e mais, ela quer fazer isto para expulsar o presidente dos #Estados Unidos, #Donald Trump, de lá.

Ao criar sua ‘’vaquinha virtual’’, a ex-espiã da CIA deixou claro que o objetivo é tirar do #twitter o ódio do presidente, já que os donos da empresa não estão fazendo nada a respeito.

Publicidade
Publicidade

Só que atingir a meta não vai ser fácil, pois será preciso arrecadar pelo menos US$ 1 bilhão de dólares (R$ 3,1 bilhões) , mas Valerie está confiante no projeto.

Ela disse que, se não conseguir o dinheiro todo que precisa, ao menos conseguirá comprar uma boa parte das ações do Twitter e assim passará a ter grande influência nas decisões da empresa, de forma que irá propor a exclusão do perfil de Donald Trump. Até o momento, o projeto de comprar o Twitter já arrecadou US$ 30 mil (R$ 94,3 mil) e as doações continuam chegando a todo o instante.

A ‘’vaquinha’’ está na GoFundMe e o projeto é justificado com o argumento que Trump vem postando mensagens no Twitter que estão prejudicando os Estados Unidos e levando risco para sua população. A ex-espiã da CIA ainda alega que o presidente norte-americano está criando um clima de pré-guerra nuclear e que o impasse com a Coreia do Norte [VIDEO] vem crescendo assustadoramente.

Publicidade

Valerie disse que basta um tuíte de Trump para que as relações internacionais e as alianças com outros países sejam prejudicadas, além dele poder causar grandes baixas na bolsa de valores.

Sarah Huckabee, secretária de Imprensa da Casa Branca, informou que esta ‘’vaquinha virtual’’ tem tido pouco apoio e mostra que o povo americano aprova Donald Trump no Twitter e que isto é uma forma de censurar a liberdade de expressão.

Valerie Plame ficou famosa no mundo todo, em 2003, quando teve o escândalo de vazamento de informações, sendo que naquela época George W. Bush era o presidente dos Estados Unidos. A identidade de Valerie era mantida sob o mais alto sigilo, só que acabou vazando, quando um oficial quis prejudicar o marido da agente da CIA. Este, por sua vez, fazia criticas a Bush, que estava pronto para invadir o Iraque.