A Coreia do Sul se cansou. O país que um dia já foi parte da #Coreia do Norte, governada por #Kim Jong Un, não aguenta mais o ditador [VIDEO] e, para isso, promete ir até as últimas consequência. O país, segundo informações do jornal americano 'The New York Times', promete assassinar Kim Jong Un.

Para matar o ditador da Coreia do Norte, pelo menos 1,5 mil soldados foram deslocadas na operação batizada de Decapitation Unit. A expressão não é nada amistosa e, em português, na tradução livre, pode ser chamada de 'Unidade de decapitação'.

Coreia do Sul une forças para assassinar ditador da Coreia do Norte

Nas últimas semanas, o político opositor tem brincado com a sorte.

Publicidade
Publicidade

Ele já disse, por exemplo, que os Estados Unidos se arrependeriam, caso novas sanções da Organização das Nações Unidas (ONU) fossem dadas à Coreia. [VIDEO]O presidente americano, Donald Trump, não arregou e conquistou tais sanções contra Kim Jong Un e o seu país.

No entanto, o governo americano não tem um plano público de atacar a Coreia do Norte, diferente do que existe com o lado Sul. O país que fica próximo ao território de Kim Jong Un promete medidas drásticas e assassinar o político, que vira e mexe aparece no noticiário insinuando que pode jogar uma bomba atômica nas mais diversas nações.

1.500 soldados são designadas para acabar com a vida de líder coreano

A equipe de 1500 soldados, cujo intuito principal é matar Kim Jong Un, entrará em operação até o final desse ano. A informação foi dada com destaque pelo portal de notícias R7.

Publicidade

Para matar o ditador, essa equipe será muito treinada para combater em terrenos hostis.

A invasão da Coreia do Norte deve ter também o apoio de helicópteros e o lançamento de foguetes noturnos. A notícia não é uma especulação - garante o R7 -, mas sim dados oficiais do governo sul-coreano, que não aguenta mais o líder do país ao lado.

Coreia do Sul diz que a brincadeira acabou e Kim Jong pode ser morto

A decisão de matar o ditador acontece porque o regime de Pyongyang parece não desistir de suas ambições militares e nucleares. A ideia de matar o líder norte-coreano teria partido de Song Young-Moon, que é o atual Ministro da Defesa do lado sul. Ele não gostou nada do maior teste nuclear da história de Pyongyang.

Com medo do lado sul ser afetado, ele decidiu tomar as medidas urgentes. É bom lembrar que em 1960 um plano parecido foi feito para matar o avó de Kim Jong Un, mas esse acabou naufragando e o lado Sul se deu mal.