De acordo com reportagem divulgada pelos sites BBC, Courrier Picard e France TV Info, uma adolescente de 14 anos de idade portadora de deficiências múltiplas foi seriamente atacada por um bando de ratos enquanto dormia, no norte da #França. As mordidas dos roedores a deixaram gravemente ferida, e ela precisou ser internada em um hospital.

O incidente aconteceu em uma casa alugada na cidade de Roubaix, e atingiu Samantha, a filha de um homem identificado apenas como Jérôme. A garota paraplégica possui dois irmãos, e normalmente dormia em uma cama hospitalar que ficava no piso térreo da residência, enquanto que sua família se acomodava à noite no piso superior.

Publicidade
Publicidade

Jérôme contou ao Courrier Picard que na sexta feira (1) deixou Samantha em seu leito e foi para o seu quarto, sendo que até aquele momento parecia estar tudo bem. Entretanto, no dia seguinte, por volta das sete horas da manhã, ele foi checar como a filha estava, e encontrou-a encharcada de sangue.

Pensando no pior

Ao ver a garota ensanguentada, o pai francês primeiramente pensou que ela havia sido ferida em algum tipo de "roubo que tivesse dado errado", e quando viu sangue saindo das orelhas da menina, passou a achar que a adolescente havia sofrido uma hemorragia cerebral. Duas ambulâncias precisaram ser acionadas para que os socorristas fossem capazes de estancar o sangramento – que na verdade provinha de ferimentos múltiplos causados em várias partes do corpo de Samantha.

Um exame posterior feito por um patologista forense constatou que, de fato, ratos – que se acredita terem sido atraídos até o local por causa de lixo acumulado em um estacionamento – eram os responsáveis pelo violento ataque.

Publicidade

Ao todo, foram encontradas 30 lesões individuais nos pés da adolescente, 45 no rosto (incluindo nariz e orelhas) e 150 nas mãos.

Jérôme explicou que, devido à condição da saúde da garota, ela é menos sensível à dor, e que por isso não deve ter notado a gravidade da situação. O francês revelou ainda que sua filha recebeu uma bateria de vacinas para evitar infecções, incluindo raiva (cujo teste deu negativo), e as mordidas nas pontas de alguns dos dedos das mãos foram tão destrutivas que os médicos não conseguem repará-las da forma apropriada.

A hospitalização da adolescente ainda pode durar vários dias, e sua família foi transferida para outra residência enquanto as autoridades investigam o caso. Além disso, Jérôme decidiu processar a entidade proprietária do imóvel (SoliHA, que fornece habitação para pessoas e famílias de baixa renda) onde o ataque ocorreu por negligência, já que ele alega que desde 2012 tem feito queixas sobre a presença de ratos no local. #Europa