Alunos e professores de uma #Escola em Ivanteyevka, cidade situada a 20 quilômetros de Moscou (Rússia), vivenciaram uma situação sinistra na manhã desta terça-feira (5).

Munido com um ódio irracional, o estudante Mikhail Pivnev, 15 anos, usou um machado para atacar um professor. Além disso, jogou bombas de fumaça e abriu fogo com uma pistola de ar comprimido contra os colegas.

As informações são da agência de notícias russa Press Focus, da emissora Ruptly e do grupo midiático RT. O jornal norte-americano [VIDEO] New York Post também noticiou o caso.

De acordo com as autoridades, vários acadêmicos ficaram feridos. Eles se machucaram ao saltarem das janelas para escapar dos ataques.Porém, o estado mais grave é do professor.

Publicidade
Publicidade

A polícia ressaltou que o docente levou uma machadada na cabeça. Logo após desferir o golpe, o adolescente começou a detonar as bombas na escola. Ele também disparou na direção dos alunos.

Embora os danos resultantes de uma arma de ar comprimido sejam inferiores as de fogo, no momento do ataque, as pessoas não identificaram o instrumento usado pelo rapaz e entraram em pânico. Certamente acreditaram que ele estava com uma pistola de verdade.

Ao exibir a foto de Mikhail Pivnev, a Press Focus ressaltou que ele espancou o professor em sala de aula e atirou contra os acadêmicos que, assustados, saltaram das janelas e acabaram contundidos – confira na íntegra.

Uma aluna revelou ao RT que o atacante era uma pessoa introvertida.“Todos dizem que ele era estranho.

Publicidade

Alguns dizem que ele queria fazer isso por um longo tempo. Mas todos pensavam que ele estava brincando", comentou.

Outro jovem descreveu o acontecimento. Disse ter ouvido o barulho dos tiros e os sons dos fogos de artifícios. Salientou que ele e os colegas escaparam pela saída de emergência. “Havia fumaça em todos os lugares. Ouvi gritos”, declarou o estudante.

Conforme a imprensa, o professor ferido com golpe de machado foi submetido a cirurgia e está em recuperação.

Mikhail Pivnev, no entanto, disse que planejava o ataque há três anos. No perfil dele na rede social russa VKontakte, a imprensa descobriu outra peculiaridade.

Numa mórbida demonstração de admiração aos #Estudantes da escola de Columbine (EUA), que mataram diversos colegas em 1999, ele adotou o sobrenome Klebold, o mesmo de um dos envolvidos no ataque norte-americano.

Na descrição do perfil, ainda deixou um aviso: “excluir minha vida em 05.09.17”.

A seguir, veja os vídeos de instantes após o ataque. Até o momento, autoridades ainda não sabem o motivo da violência perpetrada pelo rapaz.

Publicidade

Ele está preso.

#Russia