Preocupado com as celebrações do aniversário de fundação da #Coreia do Norte, que faz 69 anos neste sábado (9), o Exército estadunidense enviou o porta-aviões USS Ronald Reagan (navio de guerra nuclear) para a fronteira entre as duas coreias. Ele é capaz de disparar mísseis nucleares.

Segundo a imprensa internacional, o objetivo dos militares é observar as movimentações no país. Existe a suspeita de que Kim Jong-un pretende disparar outro míssil nesta data. Além dos reforços militares na fronteira entre as duas nações, fuzileiros navais, prontos para agir a qualquer momento, ocupam a ilha de Baenyong, a 16 quilômetros da costa norte-coreana.

Publicidade
Publicidade

O reforço com a segurança de países próximos como o Japão e a Coreia do Sul, e a apreensão dos Estados Unidos, ocorrem devido ao hábito do ditador exibir seu poderio militar nesta data. Em 2016, por exemplo, ele detonou uma bomba nuclear em comemoração ao aniversário de Pyongyang.

Conforme o jornalista Anders Anglesey, a agência de notícias norte-coreana, controlada por Kim Jong-un, recentemente fez ameaças veladas a administração de Donald Trump. As críticas foram direcionadas ao embaixador dos #Estados Unidos nas Nações Unidas, Nikki Haley.

Na ocasião, os representantes do ditador disseram que ele deve tomar cuidado com as palavras. Ressaltaram também que “a administração dos Estados Unidos pagará por não poder controlar a boca de seu representante na ONU”.

Festividades

Apesar da desconfiança dos norte-americanos [VIDEO], o feriado foi celebrado de forma sucinta.

Publicidade

Ao invés dos rotineiros mísseis e exibição militar, a população norte-coreana foi vista reverenciando estátuas dos antigos líderes Kim Il Sung e Kim Jong Il.

De acordo com a Fox News, testes bélicos não foram detectados na tarde deste sábado. No entanto, os habitantes defendem os experimentos do ditador. “Apoiamos firmemente o nosso supremo líder camarada Kim Jong-un, nosso país se tornará mais forte com uma energia nuclear autossuficiente, e teremos um ótimo futuro", disse Pak Kum Hyang.

Outro morador, Choe Sol Ju, exaltou o lançamento da bomba de hidrogênio. "Este aniversário da fundação do nosso país é significativo e vem logo após ter tido um teste de bomba H bem-sucedido", falou à agência estatal.

Na Coreia do Norte, as pessoas são proibidas de criticar o regime de Kim Jong-un. Por isso, é provável que os elogios não sejam espontâneos, mas obrigatório.

Pyongyang é apoiada pela China e Rússia. Embora ninguém saiba para que serve, o Brasil mantém uma embaixada na Coreia do Norte, fundada em 2009 no governo de Luiz Inácio Lula Silva. #EUA