Durante a exposição do III Fórum Militar do Exército – 2017, em Moscou, foi apresentado o protótipo do fuzil, REX-1, um dispositivo não letal que foi feito para combater ‘drones’, eliminando os sinais de comunicação.

O dispositivo foi produzido pelo Consórcio #Kalashnikov, o maior fabricante de armas da Rússia [VIDEO]e vem sendo testado nas unidades da Guarda Nacional.

Nikita Khamitov, chefe do departamento de projetos especiais do Grupo Zala Aero, informou no fórum que é uma arma radiomagnética que obstrui canais de contato e controle para o comando remoto de drones e, também possui dispositivos eletromagnéticos e infravermelhos que suprimem os canais de GSM, GPS e outros tipos de satélite e sistemas de navegação.

Publicidade
Publicidade

Portanto a arma pode obstruir quaisquer sinais de wi-fi, cortando comunicação remota entre os aparelhos e seus operadores.

O Grupo Zala Aero, responsável pelo desenvolvimento do dispositivo, faz parte do Consórcio Kalashnikov.

De acordo com Khamitov, é possível mudar cada componente com facilidade, como trocar cartuchos em um fuzil de assalto.

O REX-1 é capaz de operar por quatro horas continuamente, e, após, ser carregado por um período de quatro horas, usando uma tomada comum de 220 volts. Além disso, pode ser conectado a uma bateria para uso ininterrupto.

Segundo Khamitov, os ‘drones’ em geral têm dois modos de uso padrão. Caso haja perda de comunicação com seu operador, são programados para retornarem ao ponto inicial ou aterrarem automaticamente. No caso de aterrarem, eles desaparecem dos radares de quem o opera, sendo possível reprogramar para uso,

O uso para o combate de terroristas

Outra característica do fuzil é desativar também quaisquer dispositivos controlados remotamente, não apenas neutralizando os VANTs, mas também explosivos de controle remoto, obstruindo a conexão com sinais externos, dando o tempo para um grupo especializado chegar ao local e eliminar a ameaça.

Publicidade

Porém sua capacidade de desligar quaisquer sinal de Wi-fi, 3G, GPS, em um raio de um quilômetro de seu feixe eletromagnético, pode não ser útil, desligando a conexão aliada. Quaisquer sinal de celular, TV, conexões de internet seriam desligados.

Arma projetada também para uso civil e segurança privada

A arma também foi adaptada em uma versão para o mercado civil, sem que todas as funções de combate estejam disponíveis, como por exemplo a neutralização de sinal GPS.

Segundo o Vice-Diretor geral da empresa Zala Aero Group, Konstantin Abashkin, o armamento pode ser utilizado tanto pelas autoridades como pelo setor privado de segurança, como, por exemplo, em grandes eventos ou, também, empreiteiras militares [VIDEO] que operam em regiões de conflito. #Russia #2016