Um referendo realizado no Reino Unido há pouco mais de um ano tem tido desdobramentos nas mais diversas áreas e gerado muita discussão em toda a comunidade europeia. O Brexit, como ficou conhecida a votação popular [VIDEO], optou pela saída de países como Irlanda do Norte, Escócia, País de Gales e Inglaterra do bloco de livre comércio europeu, a União Europeia.

Enquanto Londres define as principais diretrizes para efetiva retirada do Reino Unido da União Europeia (UE), em 2019, um estudo da Frankfurt Main Fianance trouxe alguns dados interessantes sobre o impacto na economia da Europa como um todo. Segundo o levantamento, algumas cidades europeias já vêm se preparando para receber grandes empresas internacionais que devem retirar suas instalações do Reino Unido, por exemplo, com uma boa estrutura já existente na cidade de Frankfurt, a #Alemanha deve incentivar a recepção de uma expressiva quantidade de profissionais estrangeiros por consequência do #brexit.

Publicidade
Publicidade

Empregos na Alemanha

Com a criação de novos postos de trabalho na Alemanha, a cidade de Frankfurt poderá ter um papel de destaque nessa nova abertura para empresas do ramo imobiliário, serviços e construção civil, a cidade deve ser o destino de pelo menos 10 mil profissionais do segmento de capitais nos próximos quatro anos, diz o estudo.

Investidores e bancos com negócios em Londres [VIDEO], já cogitam a possibilidade de transferirem suas principais atividades para outros grandes centros da UE, como Frankfurt que já vem tendo contatos de agências especializadas com interesse pela cidade, já cotada como a nova sede comercial de seus empreendimentos, como o Citigroup, JP Morgan e Morgan Stanley, para corroborar com essas transições a metrópole alemã já sedia a unidade reguladora da política monetária da Zona do Euro, o Banco Centro Europeu (BCE).

Publicidade

'Pequena Londres'

Para o presidente da Fraknkfurt Economic Development, Oliver Schwebel, Frankfurt poderá se transformar numa "pequena Londres". Por conta da vocação em comum de centro financeiro entre as duas cidades, a cidade alemã conta atualmente com um setor de capitais já bem consolidado na Alemanha, levando o título de capital financeira do país, o momento de busca por novos mercados permitiria que a cidade obtive-se um novo impulso, podendo gerar cerca de 100 mil novos empregos pós-Brexit, afirma Schwebel.

Para os investidores, a ascensão de outros setores faz parte do efeito multiplicador ocasionado pela transferência desses postos de trabalho ligados ao segmento financeiro, a ser confirmada pela análise do estudo onde foi realizada a projeção de novas vagas de emprego na Alemanha. #Trabalhar no exterior