Após a ONU (Organização das Nações Unidas) conseguir por unanimidade de votos colocar em prática novas sanções econômicas contra a #Coreia do Norte, os Estados Unidos receberam nova ameaça transmitidas pelo delegado representante oficial do regime de Pyongyang, sanções estas que interferem diretamente na renda proveniente do exterior para sustento do país.

O embaixador norte-coreano, Han Tae Song, presente na seguinte conferencia, disse: “O regime de Washington disparou um confronto político, econômico e militar, está obcecado com o jogo selvagem de reverter o desenvolvimento de força nuclear da Coreia do Norte, que já está em fase de finalização”.

Publicidade
Publicidade

A ONU promoveu na segunda-feira (11) conferência para votação contra novas sanções econômicas contra o país, por conta de seu último e mais perigoso teste nuclear, realizado no dia 3 de setembro, convocando vários países a não mais importar mercadorias provenientes da Coreia do Norte e diminuir também mercadorias, como petróleo, exportadas para lá, pressionando assim ainda mais o país para que cancele seu programa de desenvolvimento nuclear.

O embaixador de desarmamento dos Estados Unidos, Robert Woods, declarou que espera que a Coreia do Norte entenda o recado dado pela ONU e volte atrás em seu plano de desarmamento nuclear.

A representante oficial dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley, vem trabalhando há algum tempo por sanções mais duras, para deter o programa nuclear norte-coreano. Mas declara que os Estados Unidos não desejam guerra, e sim paz, e que se o país estiver disposto a mudar e provar isto, poderá então retomar seu futuro e viver em paz com o mundo.

Publicidade

Ela também reforçou a o forte relacionamento entre o atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, com o presidente chinês, Xi Jinping, o qual foi essencial apoio para receber aval completo e unanimidade das novas sanções.

Notícia que também trouxe boas expectativas para o primeiro ministro japonês, Shinzo Abe. Afinal, o Japão vem sofrendo varias provocações por parte do regime de Pyongyang [VIDEO], que tem feito testes de misseis balísticos em território japonês, o primeiro ministro reforçou em uma declaração a importância de forçar a Coreia do Norte a mudar sua política e elogiou as novas sanções por parte da ONU.

O representante oficial da China, país que é aliado Coreia do Norte, também aconselhou o país aliado a atender as expectativas da comunidade internacional e ter calma para resolver a situação, para não aumentar ainda mais as tensões. #Japão