Ryan Young foi chamado a tribunal, após um incidente horrível ter acontecido em sua casa. Sua companheira, Maria Blacklin, precisou sair de casa para se juntar a sua família, após sua avó ter morrido nesse dia. Ela saiu de casa e deixou seu bebê, o pequeno Reggie Richardson, de três semanas, em casa com o pai, Ryan. Ele ficou de tomar conta do menino, mas a verdade é que quando Maria retornou na casa não foi isso que ela encontrou, mas sim um cenário de uma enorme tragédia [VIDEO], em Sunderland, na Inglaterra. Ryan foi agora condenado a 21 meses de cadeia, após ter sido considerado culpado na morte do bebê.

Quando Maria chegou em casa, por volta das quatro horas da manhã, ela mal poderia acreditar no que estava vendo.

Publicidade
Publicidade

Seu bebê estava caído no chão e em sua volta havia uma poça de sangue. O menino ainda respirava, mas já estava inconsciente e de cor azul quando a mãe o viu. Perto estava Ryan, mas sem se aperceber de nada. Ele estava dormindo, após supostamente ter se embriagado.

Ele negou ter bebido demais, mas confirmou que não se apercebeu desse ataque brutal. O tribunal acredita que esse homem bebeu umas oito latas de cerveja e que caiu no sono. Enquanto isso, ele não pode tomar conta de seu bebê, que ficou indefeso na sua caminha. Porém, o cachorro da família, um Lakeland terrier cruzado, atacou o bebê, que tirou da caminha e mordeu, durante uns vinte minutos, o que levou à morte.

Após a investigação, a polícia acredita que o ataque teria durado vinte minutos, durante os quais esse bebê [VIDEO] teria gritado e feito barulhos.

Publicidade

Porém, Ryan não deu conta e não acordou por nada. A família tinha esse cachorro há quase dois anos, que tinha chegado bebê lá em casa. Ele ficava sempre no jardim e quanto muito entrava na casa só até à cozinha. Nesse dia, e sem ninguém estar guardando, ele entrou mais e acabou ferindo de morte esse bebê.

Quando a mãe do menino chegou, ela contatou a emergência, mas já nada havia a fazer por esse bebê. Acionada a emergência, também a polícia chegou no local, e Ryan, entretando acordado pela companheira, se recusou em fazer o teste de álcool, negando estar embriagado, mas os oficiais descreveram o homem como "bêbado", assim que chegaram.

Shaun Dodds, promotor do tribunal não teve dúvidas em afirmar: "Se o réu não estivesse adormecido pela bebida, ele teria conseguido parar o ataque". Mas Ryan negou estar bêbado e afirmou antes estar cansado. Após esse ataque, foi Ryan quem seguiu na frente do funeral do menino, carregando o pequeno caixão, completamente devastado. O caso aconteceu em 2015, mas só agora terminou seu julgamento em tribunal.

Publicidade

Este pai foi considerado negligente e acusado de ter negado todos os cuidados que seu bebê precisava, deixando ele em uma situação de perigo. Por isso, o tribunal condenou este homem a 21 meses de cadeia. "Estou convencido de que sua falta de controle sobre seu animal foi devido à influência do álcool e sua decisão egoísta de beber em excesso, após um árduo dia no trabalho", disse o juiz em um caso que deixou todos comovidos, no tribunal. #Bebê #Cachorros #Álcool