Será possível uma noiva triste, aborrecida e desconfortável em seu casamento? Sim, é possível.

O caso surpreendente aconteceu na província de Khatlon, Tajiquistão, país localizado na Ásia Central e foi patrocinado pelo governo local.

Um #Casamento #Bizarro e #Chocante, que aconteceu no fim de agosto e veio à tona somente agora. Os personagens dessa história foram o professor Saidsho Asrorov, de 23 anos, e a enfermeira Marjona Hudoidodova, de 22.

O que mais chamou a atenção é que a noiva, durante toda a cerimônia, mostra um semblante triste e desolado, evita mostrar entusiasmo e em nenhum momento fica de frente com seu noivo, ou troca olhares com ele.

Publicidade
Publicidade

Enquanto isso, o noivo demonstra estar feliz e até emocionado com o casamento.

Os noivos se conheceram no dia do casamento. O contato de Saidsho havia sido apenas com os pais da noiva, para fazer a proposta e informar que a havia escolhido.

Porém, o fato mais bizarro deste casamento é como tudo começou. O noivo, até então solteiro, fez um discurso meloso, defendendo o presidente Emomali Rahmon, ditador desde 1992, durante sua visita na província de Khatlon, no dia 16 de agosto.

O presidente que manda e desmanda no Tajiquistão ficou impressionado, e como recompensa prometeu um casamento para o rapaz, com a noiva que ele quisesse. No mesmo ato ordenou que fosse criada uma comissão que organizasse o evento em 10 dias, e foi o que aconteceu. Surpreendentemente a comissão ajudou até na aprovação da noiva.

Publicidade

Saidsho então escolheu Marjona, mesmo sem conhecê-la.

O noivo então não hesitou e procurou os pais da noiva para oferecer o 'mimo' dado pelo Presidente como dote. Eles ficaram impressionados com a história, mas aceitaram na hora. No Tajiquistão é muito comum que o homem ofereça dote aos pais da noiva, para pedir a sua mão em casamento.

Os pais comunicaram o fato para Marjona, bem como informaram que o noivo havia sido indicado pelo Presidente e ela aceitou casar. Entretanto, fez um pedido de que o noivo deixasse ela continuar trabalhando como enfermeira. Saidsho concordou, e os pais felizes disseram que ele foi o primeiro pretendente que havia concordado com o pedido da filha.

Saisho revelou sempre ter admirado a noiva, mas que não tinha dinheiro suficiente para fazer uma proposta de casamento.

Dessa forma, o resultado de tudo isso foi que Marjona não conseguiu demonstrar felicidade, contentamento e plena em seu casamento