Em 1676 (século 17), a freira [VIDEO] italiana Maria Crocifissa della Concezione, enclausurada no convento de Palma di Montechiaro (#Itália), assustou outras religiosas ao apresentar uma estranha carta, composta por símbolos e letras. Ainda mais #Bizarro, ela disse que a mensagem foi grafada pelo próprio diabo. Segundo a freira, o ‘tinhoso’ possuiu o corpo dela.

Na ocasião, ela acordou coberta de tinta com a sinistra carta à sua frente, e ainda afirmou que o demônio [VIDEO] dominou seu corpo e a obrigou a escrever.

Porém, desde então a mensagem do ‘tinhoso’ permaneceu indecifrável.De acordo com o jornal britânico Daily Mail, depois de muitas tentativas de traduzir a palavra de Satanás, cientistas da computação, na Itália, decifraram a carta após submetê-la a um programa de decodificação disponível na Deep Web.

Publicidade
Publicidade

Um dos trechos era realmente sinistro. Dizia que Deus e Jesus eram “pesos mortos” – confira o bilhete.

Apesar das colegas de convento acreditarem que ela foi escrita pelo diabo, através das mãos da irmã Maria Crocifissa della Concezione, a mensagem permanecia um mistério.

Todavia, o enigma chegou ao afim após pesquisadores do Ludum Science Center em Catania, na Sicília, obter êxito ao usar um software específico.

Em depoimento ao jornal inglês The Sunday Times, na quinta-feira (7), Daniele Abate, diretora do Ludum Science, revelou que eles utilizaram o aplicativo depois de descobrirem que agências de inteligência o empregavam para “quebrar” criptografias.

Publicidade

"Preparamos o software com o grego antigo, o árabe, o alfabeto rúnico e o latim para arruinar algumas das cartas e mostrar que é realmente diabólico", explicou.

A mensagem

Antes de irmos para o que interessa, é imperativo ressaltar que os pesquisadores acreditam que a própria freira é a autora do recado. Eles avaliam que ela era esquizofrênica. Também ressaltam o fato da mulher conhecer diversos idiomas e ter usado uma mistura deles na elaboração do conteúdo.

As 15 linhas traduzidas versam sobre Deus, Satanás e os humanos. Na carta, é dito que Deus, Jesus e o Espírito Santo são como “pesos mortos”. Ainda faz outra afronta ao criador: “Deus pensa que pode libertar os mortais".

Como se não bastasse tamanha heresia vinda da mente de uma freira, a mensagem é totalmente cética. Frisa que Deus é uma invenção humana e ainda acrescenta que “esse sistema não funciona para ninguém”.

Outro trecho faz relação com a mitologia grega e romana, ao citar o rio Styx, que separa a Terra e o submundo, conforme o folclore da época. “Talvez agora, Styx é certo”, diz. #Europa