De acordo com notícia publicada pelos sites Mail Online e The Sun, um estuprador transexual do Reino Unido, condenado à prisão perpétua, precisou ser colocado em um regime de segregação (isolamento) após ter sido transferido para um presídio exclusivamente feminino, pois estava praticando "avanços sexuais indesejados" contra as detentas.

Martin Ponting, de 50 anos de idade e pai de três filhos, recebeu a sentença vitalícia em 1995 por ter estuprado duas meninas, e quando já estava preso, decidiu fazer uma terapia de mudança de sexo que custou £ 10 mil (mais de R$ 40 mil), passando então a se chamar Jessica Winfield – mantendo, entretanto, seu pênis intacto.

Publicidade
Publicidade

Até março deste ano, Winfield estava cumprindo a sua sentença na prisão de Categoria "A" – o equivalente a uma cadeia de segurança máxima no Brasil – conhecida como HM Prison Whitemoor, exclusiva para homens e situada em Cambridgeshire. No entanto, a justiça britânica permitiu que ela fosse transferida para o complexo HMP Bronzefield, a maior casa de detenção feminina de toda a #Europa, e foi neste local, durante a semana passada, que as reclamações sobre as investidas sexuais vieram à tona.

Medos que se concretizaram

Uma fonte anônima do presídio HMP Bronzefield, que está localizado no condado de Surrey, Inglaterra, disse ao tabloide The Sun que é difícil de acreditar que seja permitido a uma pessoa condenada pelo estupro de garotas, e que ainda possui o seu pênis, ficar em meio a mulheres.

Publicidade

Esta mesma fonte revelou que os chefes da prisão estavam preocupados com a possibilidade de que Jessica Winfield tentasse assediar as outras detentas, o que infelizmente acabou se concretizando e deixou as mulheres que cumprem pena no local furiosas.

Mudança de sexo em pessoas encarceradas

Desde 1999, o Reino Unido permite que presidiários(as) passem pelo complexo procedimento de mudança de sexo, e todos aspectos envolvidos – incluindo terapia hormonal, suporte mental e cirurgias – são cobertos pelo sistema público de saúde do país, conhecido como National Health Service ou simplesmente NHS.

Ainda segundo o Mail Online, o benefício passou a ser concedido naquele ano após seis condenados – incluindo um sequestrador e um assassino – terem solicitado legalmente a mudança de sexo, e em 2009, uma decisão do Tribunal Superior britânico (High Court) estabeleceu que prisioneiros transexuais podem cumprir pena nos locais que abrigam os detentos do gênero aos quais eles ou elas se identificam.

No entanto, antes de começar o processo de mudança de sexo propriamente dito, estas pessoas detidas precisam enfrentar rigorosos testes psicológicos para demonstrar que querem, de fato, passar pela transformação, e que não estão fazendo isso para simplesmente obter algum tipo de tratamento especial. #Transgênero #Caso de polícia