Publicidade
Publicidade

Um homem de 48 anos pediu para ficar a sós com a mãe, que estava internada em um hospital de Rhode Island, nos Estados Unidos [VIDEO] e, assim que ficou sozinho, passou a desferir tiros contra a mulher.

Travis Frink, de 48 anos, foi preso ainda no Centro Médico Dartmouth-Hitchcock. Sua mãe, Pamela Ferriere, de 70 anos, morreu após ser atingida por quatro tiros. Ela estava internada na UTI para o tratamento de um aneurisma cerebral, e deveria receber alta nesta sexta-feira, 15.

O crime chocou a população a Rhode Island, principalmente pelo fato de que, até o momento, Frink não apresentou nenhum motivo para cometer o crime.

Publicidade

De acordo com seu padrasto, Robert Ferriere, o homem chegou calmamente ao hospital. “Eu jamais pensei que fosse presenciar um assassinato”, chegou a dizer o homem a jornais locais.

Vizinhos, amigos e conhecidos de Pâmela afirmaram em entrevistas que ela era uma pessoa muito querida e carismática. Envolvida com a comunidade local, ela participava ativamente da igreja e fazia questão de acompanhar de perto as eleições.

O assassinato ocorreu na última terça-feira, 12 de setembro, e deixou em choque a comunidade. Para tentar acalmar a população, a equipe do hospital afirma que está tomando todas as medidas para evitar que novos incidentes como este aconteça.

Uma personalidade problemática?

Jornais que entraram em contato com o padrasto do assassino fizeram perguntas sobre quais poderiam ser o motivo do crime.

Publicidade

Muito transtornado, Robert Ferriere chegou a declarar que ele não sabe ‘ler mentes’. Apesar disso, ele teria afirmado que Frink era veterano da Marinha dos EUA e que, por essa razão, sofria de estresse pós-traumático.

O que também se sabe sobre o acusado é que sua esposa e seu filho – de 3 anos – morreram de forma trágica em 2013. Os corpos foram encontrados em um carro que ‘cheirava álcool e vômito [VIDEO]’. Naquele ano, os investigadores disseram que o carro estava muito quente.

Travis Frink pode ser condenado à prisão perpétua

Após sua prisão, Frink afirmou aos policiais que foi até o centro médico com a intensão de tirar a vida da própria mãe. Apesar disso, ele permaneceu calado durante a primeira audiência sobre o caso, que ocorreu nesta quinta-feira, 14. Quais foram suas motivações para o crime também não foram reveladas. Tudo o que se sabe até o momento é que ele pode ser condenado à prisão perpétua, e que aguardará ao julgamento preso, sem direito à fiança. #Estados Unidos #Ataque #Polícia