O furacão denominado "Irma" vem causando pânico nas pessoas ao redor do mundo. Uma das tempestades mais fortes do Oceano Atlântico no século, Irma evolui para a Categoria 5, correspondendo ao nível mais perigoso de um #furacão com ventos de mais de 252 km/h e o nível do mar elevando a mais que 5,5 metros com pressão barométrica menor que 920 hPa. Foi também o furacão com a pressão atmosférica mais baixa no Atlântico desde o Dean, em 2007, e o ciclone tropical mais forte do mundo, em 2017.

Nesta quinta-feira (7), o fenômeno deixou um rastro horroroso nas ilhas do Caribe, logo em seguida afetando a República Dominicana e seguindo para o Haiti.

Publicidade
Publicidade

A tempestade passou por algumas pequenas ilhas do Caribe, como Barbuda e São Martinho. Em seu caminho, colocou no chão milhares de casas, prédios, árvores, e ainda ocasionou ondas de cerca de 12 metros de altura. Segundo relatos, a área de Barbuda foi uma das mais devastadas. Considerada a ilha mais setentrional do Caribe, que abrigando 1.700 pessoas, foi por pouco demolida por completa, com quase todas as casas afetadas. As informações são do primeiro-ministro Gaston Browne, de acordo com as transmissões da Reuters.

De acordo com o Centro Nacional de Furacões dos #Estados Unidos (NHC), o fenômeno está se movendo em uma velocidade constante de 24 km/h, conforme dados que foram expostos pelo canal de televisão americana, BBC.

A caminho da Flórida

O furacão Irma está previsto para chegar no estado americano da Flórida nesse domingo (10).

Publicidade

O NHC informou que o furacão provavelmente chegará a Flórida com uma tempestade de categoria 4, inundações e derrubando grande parte das construções.

O chefe da FEMA Brock Long comunicou, durante uma coletiva de imprensa, que o furacão vai deixar o território da Flórida sem eletricidade durante muito tempo, acrescentando que mais de 100 mil habitantes vão precisar de abrigo.

Rick Scott, governador da Flórida, disse que não se sabe ao certo se o furacão atingirá a costa leste ou oeste de estado, mas recomendou aos moradores que fiquem atentos aos noticiários. Donald Trump, presidente dos EUA, declarou estado de emergência no país, mas disse em seu Twitter que forças especiais já estão fazendo seu trabalho e que tem pessoas muito talentosas em prontidão para ajudar. Os responsáveis oficiais do Estado já apelaram aos residentes que se dirijam para os abrigos e obedeçam às ordens de evacuação.