De acordo com uma reportagem publicada nesta sexta-feira (1º) pelo jornal britânico Daly Mail, uma mulher filmou uma amiga sendo violentada sexualmente por homens. Segundo o portal, o estupro aconteceu após as duas jovens terem discutido sobre um homem que elas tinhas conhecido em uma festa no último dia 23, em Chicago, nos Estados Unidos.

A acusada de ter cometido o crime foi identificada como Beth Rae Harris, de 36 anos. Para a #Polícia, ela é a principal suspeita de ter filmado a amiga Nora Gill, uma jovem de 23 anos, sendo estuprada por um homem ou possivelmente mais de um, e divulgado o vídeo na rede social Snapchat.

Publicidade
Publicidade

De acordo com os promotores, no dia do incidente, a vítima e a acusada foram para um clube e uma festa em um hotel. Nora ingeriu muita bebidas alcoólica. Em determinado momento da festa, elas resolveram ir embora.

Beth e a vítima voltaram para o apartamento de Harris, na Avenida Artesiana do Norte, onde a vítima desmaiou, disseram os promotores. A acusada, por sua vez, encorajou pelo menos um ou mais homens a estuprarem a jovem enquanto ela estava dormindo.

Segundo a advogada de Nora Gill, a sua cliente disse que no dia seguinte pela manhã, quando a vítima acordou, estava toda dolorida e completamente nua. A suspeita disse para ela que homens tinham tido relações sexuais [VIDEO]com ela enquanto estava dormindo.

Porém, quando a mulher chegou a sua residência, descobriu que havia vídeos publicados em sua conta no #Snapchat que mostravam com clareza ela sendo estuprada.

Publicidade

Conforme relatos, a acusada também aparece nas imagens. Em alguns momentos do vídeo, ela até narra o estupro.

As autoridades informaram que os vídeos foram vistos pelos usuários da Snapchat e Beth foi identificada como a pessoa que registrou e divulgou os vídeos do estupro. Ela foi presa e está sendo acusada de disseminação não consensual de imagens sexuais [VIDEO]. ela está presa na prisão do Condado de Cook, mas pode responder o processo em liberdade, desde que pague uma fiança de US$ 150 mil (cerca de R$ 471 mil).

A polícia disse que ninguém mais foi acusado de agressão sexual e que a polícia está trabalhando para identificar o homem ou os homens envolvidos no estupro. O advogado de Beth disse que ela tem três filhos e estava trabalhando como massagista e modelo, além de estudar em uma escola de cabeleireira e maquiadora.

A polícia informou que a suspeita já tem algumas passagens pela polícia e foi condenada por conduta imprudente, resistir à prisão e desacato a autoridade. O que você tem a dizer sobre esse incidente? Compartilhe suas reações na seção de comentários abaixo. #amizade