Neste sábado (23) o ministro das Relações Exteriores da #Coreia do Norte, Ri Yong Ho, disse na Assembleia Geral das Nações Unidas que as ameaças e insultos do presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, tornará inevitável uma "visita dos mísseis norte-coreanos ao território continental dos #EUA".

Tal discurso polêmico foi feito no mesmo dia em que bombardeiros dos EUA sobrevoaram as fronteiras do país, sobre águas internacionais, com o objetivo de demonstrar a força que possuem.

"Doente mental" e "cheio de megalomania", diz ministro norte-coreano sobre Donald Trump

Em seu discurso, Ri Yong Ho disse que Donald Trump é um "doente mental" e uma pessoa "cheia de megalomania".

Publicidade
Publicidade

O ministro demonstrou também estar profundamente incomodado com o que Trump disse sobre o líder do país, Kim Jong-un, ao chamá-lo de "homem do foguete" em seu discurso na última terça-feira.

Na ocasião, Donald Trump ameaçou destruir "completamente" a Coréia do Norte se continuassem a ameaçar outros países por causa de seus constantes testes nucleares.

O ministro norte-coreano disse que Trump cometeu um "erro irreversível" ao se referir de tal forma ao líder de seu país.

Ri Yong Ho comenta sanções aplicadas ao país pela ONU, por iniciativa dos EUA

O ministro também aproveitou a oportunidade para comentar sobre as sanções que estão sofrendo principalmente por iniciativas dos Estados Unidos. "Por meio de uma luta prolongada e árdua, estamos agora finalmente a apenas poucos passos da última etapa da conclusão da nossa força nuclear.

Publicidade

É uma posição deplorável pensar que a República Popular Democrática da Coreia seria abalada ou mudaria sua posição devido às sanções mais severas das forças hostis", declarou.

Ri ainda disse que o objetivo principal de seu país e de Kim Jong-Un é establecer um "balanço de poder" com os EUA, que possuem atualmente o maior arsenal de armas nucleares do mundo.

"Somos um Estado Nuclear responsável"

Ao comentar sobre objetivos que o país espera obter através dos testes nucleares que estão sendo realizados, Ri disse que a Coreia do Norte é um Estado Nuclear responsável, e disse ainda que não tem intenção alguma de utilizar suas armas nucleares contra os países que não se juntarem às ações militares que os EUA tem tomado contra a República Democrática.

Para concluir seu discurso, o ministro estendeu cordial "solidariedade" aos regimes de Cuba e da Venezuela, afirmando que os mesmos "luta para defender suas soberanias e a causa do socialismo".