Uma mulher que estava grávida cometeu suicídio depois que a família repetidamente se recusou a deixá-la fazer uma cesariana. A vítima foi identificada apenas como Ma, de 26 anos, que havia sido internada na maternidade do hospital de Yulin, na província de Shaanxi, no Norte da #China, na quarta-feira da semana passada (30).

O caso chocou e irritou muitos internautas, que pediram que as mulheres recebessem maiores direitos reprodutivos [VIDEO]. A direção do hospital relatou que a vítima estava grávida de 41 semanas, acrescentado que um parto normal era muito arriscado.

Os médicos sugeriram, após exame, que uma cesariana seria mais segura para Ma, mas a família insistiu em um parto natural.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a legislação chinesa, os membros da família devem dar permissão antes que a equipe médica realize uma cirurgia.

Os registros hospitalares afirmam que, por volta das 5h50 da última quinta-feira (31), os médicos informaram para os familiares da vítima preencher os requisitos para realizar uma cesariana na jovem. A família de Ma, por sua vez, se recusou a autorizar a cirurgia, preferindo continuar monitorando a situação da jovem para que ela tivesse parto normal.

Conforme informações dos registros médicos, a jovem saiu duas vezes da ala hospitalar para dizer a família que queria uma cesariana porque ela não podia suportar a dor [VIDEO], mas os parentes continuaram a insistir em um parto natural. Não foi explicado o porquê eles negaram o pedido dela. Em um vídeo gravado por uma câmera de segurança do hospital é possível ver com clareza a jovem no corredor implorando por alguma coisa.

Publicidade

Em determinado momento do vídeo, Ma fica agachada no chão. Porém, por volta das 8 horas da noite de quinta-feira, a mulher grávida, incapaz de tolerar a dor por mais tempo, saltou da janela do 5º andar da enfermaria, morrendo ela e o bebê. A #Polícia considerou o ato como um suicídio. Assim que o incidente foi divulgado em redes sociais chinesas, logo o caso se tronou viral, causando uma grande revolta entre internautas. Veja o vídeo feito pela câmera de segurança do hospital:

O marido de Ma se defendeu da ira dos internautas, alegando que ele tinha dado a aprovação duas vezes para que a esposa fizesse a cirurgia. Mas, segundo ele, apesar de suas aprovações, os médicos disseram que o procedimento não seria necessário e que sua esposa em breve iria dar à luz naturalmente.

O porta-voz do hospital disse que as alegações do marido da jovem não são verídicas, alegando que o homem nunca havia dado permissão para a cesariana. O porta-voz citou as gravações onde a vítima aparece se ajoelhada no chão, pedindo desesperadamente que sua família desse consentimento, coisa que eles não fizeram.