Saleem é um garoto nascido no Iêmen, e a sua imagem, que retratava a sua desnutrição, correu o mundo no ano passado, causando um misto de revolta e indignação entre as pessoas. Sua idade era de apenas sete anos, mas dentro do Iêmen, era apenas uma dentre cerca de 350 mil crianças em um estado bem parecido com o seu. Mas para quem pensa que a situação melhorou, hoje são cerca de duas milhões de crianças nessa situação.

Segundo a organização 'Médicos [VIDEO]Sem Fronteiras', todos os anos, cerca de 5 milhões de crianças morrem antes de completar cinco anos por causa da desnutrição em países pobres e subdesenvolvidos. Mas a situação de Saleem, em especial, não é mais a mesma.

Publicidade
Publicidade

Ele ainda está vivo e não possui mais o problema da desnutrição graças a uma ajuda humanitária de emergência, embora a desnutrição tenha deixado sequelas, como crescimento atrofiado e danos no cérebro.

O Iêmen passa por uma dificílima situação, a pior crise de fome a nível mundial, totalizando mais de 20 milhões de pessoas que precisam de ajuda urgentemente. Além disso, eles também sofrem com doenças devido à deficiência de vacinas. Por exemplo, em abril, um surto de cólera matou 600 mil pessoas. Os conflitos armados também deixam um rastro de morte composto por milhares [VIDEO]de pessoas, a maioria civis.

O comissário de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas, chamado Zeid Ra’ad Al Hussein, afirmou sentir vergonha da inação da Comunidade Internacional em relação ao Iêmen. Toda a sua revolta surgiu aliada a um relatório no qual ficava claro o uso de armas que são proibidas no conflito armado entre uma coalizão árabe agindo em favor do atual presidente e contra os rebeldes denominados “houthis”.

Publicidade

A situação é de uma verdadeira #Guerra Civil.

Desde que foi iniciada essa coligação árabe, que aumentou consideravelmente o número de ataques aéreos contra os civis, a situação foi extremamente criticada no Ocidente. Mais de oito mil pessoas morreram e quase 50 mil ficaram feridas nesse conflito.

Outro fato sobre o conflito é o recrutamento de crianças, conhecidas como “”crianças-soldados”, e uma das principais causas de morte de pessoas que não tomam parte no conflito são os temidos ataques aéreos. Segundo o comissário, essa falta de ação apenas ajuda na propagação desse verdadeiro terror.

A Cruz Vermelha condena o verdadeiro assassinato de civis, especialmente as crianças pelos bombardeios, e alerta para o grande sofrimento causado nessa guerra civil. O chefe da Cruz Vermelha para o Oriente Médio, Robert Mardini, fez uma declaração na qual afirma que não se pode fazer de conta que a comunidade internacional não vê o grande número de mortos, principalmente civis, causadas por ataques indiscriminados na guerra civil do Iêmen. Também alega que houve um imenso apelo para todos os lados tomarem precauções, afim de evitar a morte de ainda mais pessoas inocentes. #Chocante #menino Saleem