Publicidade
Publicidade

A polícia do Japão está investigando um caso estranho e, ao mesmo tempo, chamativo. [VIDEO] Os policiais japoneses acabaram encontrando nove cadáveres despedaçados em um apartamento. O achado - para lá de macabro - ocorreu em um subúrbio de Tóquio, cidade conhecida justamente pela baixa taxa de criminalidade. Takahiro Shiraishi, de 27 anos, é o principal acusado de ter esquartejado todas as pessoas que estavam no lugar.

O achado foi uma surpresa para a polícia. Isso porque os agentes, na verdade, estavam na busca de uma mulher desaparecida e acabaram encontrando algo muito pior. Duas cabeças, por exemplo, estavam em uma espécie de contêiner do imóvel.

Publicidade

A situação surpreendeu a muitos.

Corpos são achados desmembrados no Japão; polícia investiga crime bárbaro

Os corpos acabaram sendo achados em situação bastante complexa. Os policiais estariam vistoriando o local e, conforme iam procurando situações criminosas, mais corpos foram achados. Na casa, oito corpos de mulheres e um cadáver de um homem foram achados. Todos eles já estavam em decomposição, mas com tempos diferentes de degradação, o que demonstra que Takahiro Shiraishi, o suposto assassino, seria um criminoso em série e que, a cada quantidade de tempo, fazia uma nova vítima. O sumiço de uma delas, no entanto, foi o que fez a polícia descobrir toda a situação.

Suspeito confessa que esquartejou vítimas e que tentou esconder seus corpos

De acordo com o canal estatal NHK, Shiraishi afirmou à polícia: "Eu os matei e fiz algumas coisas com os corpos para ocultar as provas".

Publicidade

Ele confessou o crime e explicou que guardava os cadáveres congelados no apartamento. Uma agência local deu detalhes sobre como os corpos teriam sido #Esquartejados. De acordo com o suspeito, ele levava os cadáveres até o banheiro, onde cortava eles em pedaços. No quarto do japonês foi encontrada uma serra elétrica. O ambiente sanguinolento foi chocante para a polícia, que não imaginava encontrar tal situação no local.

Mulher que foi esquartejada dizia na internet que queria o suicídio

O crime foi descoberto com a ajuda de um vizinho e também da internet. O vizinho entrou em contato com a polícia e disse que sentia odores terríveis vindos do apartamento do colega. Já a polícia sabia que a jovem sumida queria o suicídio. Acredita-se que os dois teriam feito um pacto, já que, através das redes sociais, a mulher contava que tinha medo de cometer a própria morte sozinha.

Deixe o seu comentário. #crime bárbaro