No dia 12 de outubro, o astro batizado 2012 TC4 vai passar em uma curta distância de aproximadamente 42 mil quilômetros da Terra [VIDEO], de acordo com a Agência Espacial Americana (#Nasa).

Com tamanho estimado de 15 a 30 metros de circunferência, o pequeno astro não apresenta perigo de colisão com o planeta. Porém, devido a diminuta distância ele voará perto dos satélites em órbita.

"Está muito perto. Os satélites mais distantes estão em uma distância de 22.400 milhas (36.000 quilômetros)”, comenta ao jornal Express, Rolf Densing, chefe do Centro Europeu de Operações Espaciais em Darmstadt (Alemanha).

A NASA salienta que o evento será importante para testar os programas de rastreamento de objetos celestes próximos à Terra.

Publicidade
Publicidade

“Este encontro com o TC4 está sendo usado por rastreadores de asteroides em todo o mundo e para testar sua capacidade de operar como uma Rede internacional coordenada de alerta de asteroides”, escreve a entidade – confira o anúncio.

Apesar da reduzida distância, especialistas em previsão de órbitas ressaltam não haver possibilidade de impacto com o nosso planeta. Contudo, enfatizam a importância do fenômeno [VIDEO] para a prática do rastreamento global de asteroides.

“Sua abordagem próxima à Terra é uma oportunidade para testar a capacidade de uma crescente rede global de observação para se comunicar e coordenar suas observações ópticas e de radar em um cenário real”, acentua a agência espacial.

Publicidade

A entidade explica que o ‘sistema global de alerta precoce de impacto de asteroides’ é um projeto voluntário, elaborado por observadores de corpos celestes financiados pela NASA e apoiado pelo Escritório de Coordenação de Defesa Planetária da NASA (PDCO).

Descoberto em 2012

O astro foi observado, pela primeira vez, pelo Telescópio de Pesquisa Panorâmica e pelo Sistema de Resposta Rápida (Pan-STARRS), no Havaí, em 2012. Entretanto, naquele ano o TC4 vagou além do alcance dos instrumentos.

Todavia, cálculos elaborados pelos rastreadores de asteroides previram que ele surgiria este ano no mês de outubro. Os primeiros a identificá-lo no final de julho de 2017 foram os membros da Agência Espacial Europeia e do Observatório Europeu do Sul.

“Desde então, observadores em todo o mundo têm rastreado o objeto à medida que se aproxima da Terra e relatam suas observações ao Minor Planet Center”, destaca a NASA.

Publicidade

A Antártica será a melhor região para visualizar a passagem do corpo celeste, por volta da 1h40 da madrugada. Ele não será percebido a olho nu. Conforme a Agência Espacial Americana, “nenhum #Asteroide atualmente conhecido vai impactar na Terra nos próximos 100 anos”.

Filmado no Japão

Na quarta-feira (11), o asteroide 2012 TC4 foi gravado por cientistas japoneses por meio do telescópio Kiso Schmidt de 1,0 metro em Nagano.

A seguir, confira o belíssimo vídeo do corpo celeste, liberado à NASA pelo Observatório Kiso, da Universidade de Tóquio.

#EUA