Uma mãe ficou furiosa com o #Facebook, depois que a rede social proibiu a publicação de uma foto de sua filha de 1 ano de idade. A menina sofre de uma condição rara, que faz com que ela exploda em bolhas ao menor toque. Por isso mesmo, a mãe da criança, Rhiannon Atkinson, de 30 anos, que vive no país de Gales, postou fotos dos pés da bebê Pippa, tentando aumentar a conscientização sobre a epidermólise bolhosa (EB), que afeta uma em cada 50 mil pessoas. Porém, sua boa intenção esbarrou na intolerância do Facebook. A mãe ficou irada [VIDEO], compartilhou sua situação e agora várias pessoas estão do lado de Rhiannon e contra a rede social.

Para o Facebook, que eliminou essas imagens, a bebê seria "indesejável", ou seja, eles acabaram mesmo fazendo algum bullying contra uma criança que sofre com "dores insuportáveis", mas sua aparência pode incomodar aos outros.

Publicidade
Publicidade

Em uma mensagem para Rhiannon, o Facebook explicou que havia removido essas imagens porque elas seriam desconfortáveis de olhar e deixavam os "usuários se sentindo mal com eles mesmos".

A imagem ofensiva é do pé de Pippa e revela a extensão de sua condição. Ela tem cerca de noventa por cento de suas mãos e pés sem pele e com vermelhidão. Indignada com essa resposta, Rhiannon recorreu para o Facebook, explicando que "isso é ridículo" e que ela estava somente tentando explicar a condição de sua filha. No entanto, eles ainda não estavam dispostos a mudar de opinião e disseram: "As pessoas nos disseram que as imagens os fazem se sentir doentes", o que deixou Rhiannon mais furiosa ainda, pensando por qual razão as pessoas deveriam ficar incomodadas com a foto de uma criança.

Sobre a condição de sua filha [VIDEO], a mãe contou que Pippa ganha 50 a 60 bolhas por dia e que precisa de fraldas diferentes e vários cremes para reduzir seus sintomas.

Publicidade

À medida em que ela vai crescendo, ela vai ainda desenvolvendo novos impulsos para rastejar e andar e, por isso, suas mãos, joelhos e pés estão constantemente sendo enfaixados, porque ela contrai muitas feridas e lesões, disse Atkinson.

A pequena Pippa toma morfina e paracetamol para lidar com a dor, mas em alguns dias ela precisa mesmo é de tomar sedativos para aliviá-la. "Quando a estou vestindo, eu sinto que ela deve me odiar, porque estou causando muita dor, mas, por outro lado, se ela está chateada, eu sou a pessoa que ela procura", contou a mãe que sofre com a condição de sua bebê.

A extensão das bolhas no corpo da menina vem aumentando e já ocupa quase todo o seu corpo. A mãe desconhece se a menina vai ou não melhorar brevemente.

#Saúde #Bebês