Alguns casos acabam assustando o mundo pelo modo como acontecem. É comum que situações desse tipo acabem gerando muita repercussão e discussão em todo o planeta. Nesta semana, um caso acabou ganhando toda a mídia. Um homem, que é de uma pequena cidade da Escócia, acabou sendo violentado por uma mulher.

Frank McGowan é homossexual, mas, mesmo sabendo dessa importante informação, Cheryl Cotterell, sua abusadora, fez de tudo para promover a mudança de sexualidade da vítima. O caso foi repercutido pelo tabloide inglês Metro e deu o que falar.

Mulher estupra gay para tentar reverter sua homossexualidade

De acordo com informações do jornal, mesmo com a mulher sabendo que a vítima era gay, insistiu em cometer o terrível abuso contra ele.

Publicidade
Publicidade

Antes de o estupro ocorrer, no entanto, a Cheryl acabou descobrindo que sua presa não gostava de outras mulheres e preferia transar com homens.

Mesmo assim, ela deu um jeito de abusar do homem. Mesmo recebendo a resposta negativa de que se interessava por mulheres, McGowan recebeu fortes insinuações da dita cuja, que queria porque queria ter uma noite de amor com ele, mesmo sabendo que seria difícil qualquer tipo de excitação a mais do rapaz.

O dia que um gay foi abusado por uma mulher e ficou traumatizado

O abuso teve repercussão mundial. Mesmo com a mulher questionando que o homem queria e ele dizendo que só topava ficar com outros rapazes, ela deu o bote e se mostrou uma terrível torturadora de homossexuais, tentando promover a cura gay. Mas, é claro, que, mesmo o assunto tendo ganhado a mídia, ele negou que Cheryl tenha conseguido reverter a sexualidade dele.

Publicidade

Ao contrário, McGowan acabou ficando traumatizado com tudo o que aconteceu. Na entrevista que deu sobre o assunto, contou que até chegou a pensar em suicídio.

A condenação da mulher insana

Esse ataque mudou completamente Frank McGowan. Ele teve a vida destruída por tudo e ficou muito mal diante de terríveis circunstâncias da vida. O homem acabou perdendo boa parte da fé que tem nas pessoas e falou sobre como isso acabou com o que ele era de verdade.

A mulher, após cometer tamanha barbaridade, não se deu bem. Ela foi considerada culpada de agressão sexual e foi condenada a realização de 120 horas de serviço comunitário.

Cheryl também foi colocada no registro dos infratores sexuais, uma vez que seu ataque foi considerado um estupro ao homem, mas de menor potencial ofensivo, o que por lá pode ser chamado de abuso sexual. #mulher estupra homem #Estupro de homem