Publicidade
Publicidade

Segundo informações divulgadas pelo site Mail Online, um homem britânico que havia sido sentenciado à prisão perpétua por ter assassinado [VIDEO] a própria filha a socos foi encontrado morto em sua cela.

De acordo com a polícia do Reino Unido [VIDEO], Liam Dane, de 22 anos de idade, foi localizado sem vida no presídio HMP Leeds no último domingo (12), e outro detento, John Westland (28), está sendo acusado de ter sido o responsável pelo homicídio.

Nesta terça-feira (14), Westland foi levado algemado até o Tribunal da Coroa (Crown Court) de Leeds, onde falou perante a corte para somente confirmar os seus dados pessoais. Durante a breve audiência, o prisioneiro foi escoltado por três oficiais, e a apuração envolvendo o crime ainda está em andamento.

Publicidade

A morte da recém-nascida

O incidente envolvendo o infanticídio aconteceu na noite de 10 para 11 de julho, quando Liam Dane precisou cuidar da recém-nascida Luna, de apenas dois dias de vida, enquanto a mãe da menina, Karen Bissett (21), dormia na casa que a família compartilhava em Wakefield, #Inglaterra.

Em determinado momento, o pai se descontrolou devido ao choro constante da filha, e em um acesso de fúria, atacou-a desferindo apertões pelo corpo, chacoalhadas intensas e socos violentos no pequeno rosto.

Na manhã após a agressão, Dane inventou a história de que Luna havia se machucado devido a uma suposta queda acidental, onde acabou ferindo a cabeça. Ele contou esta versão fantasiosa dos fatos tanto para Bissett quanto para a sua própria mãe, e uma ambulância foi chamada até a residência para prestar socorro imediato, uma vez que o serviço de emergência havia sido informado de que a garotinha apresentava dificuldades para respirar.

Publicidade

Paramédicos constataram que a menina estava com o rosto muito inchado e ferido, e como seu estado era considerado grave, ela foi encaminhada para a unidade de terapia intensiva do hospital Leeds General Infirmary, mas infelizmente veio a falecer em 14 de julho – o médico que realizou a autópsia constatou que a criança morreu em função de um traumatismo craniano advindo de "lesões cerebrais catastróficas".

Depois de ser pressionado pelas autoridades britânicas por meio de interrogatórios, Dane acabou assumindo a responsabilidade pelo ataque. Ele foi condenado no dia seis de outubro, e precisaria cumprir pelo menos 10 anos de detenção para só então poder fazer um apelo à justiça britânica por uma possível redução de sua pena. #Reino Unido #Europa