Publicidade
Publicidade

Um treinador de boxe lançou fotografias dramáticas de seu "cadáver manchado de sangue", depois de organizar seu próprio assassinato, com a ajuda da #Polícia, para provar que sua esposa contratou um assassino para matá-lo.

Ramon Sosa, de 50 anos, de Houston, Texas (EUA), uniu forças com detetives para reunir provas de que sua esposa, Maria ‘’Lulu’’ Sosa, estava oferecendo US$ 2 mil (R$ 6,5 mil) para matá-lo [VIDEO]. O incidente só não teve contornos ainda mais dramáticos, porque o ‘’assassino’’ que ela queria contratar era amigo da vítima.

Esposa queria matá-lo

Caso muito complicado, mas que acabou terminando bem para Ramon Sosa, que contou com a ajuda da polícia.

Publicidade

Ex-dono de uma academia de ginástica, Sosa disse: "Sem querer, ela se aproximou de um cara chamado Gustavo, para ver se ele poderia me matar, sem perceber que éramos amigos. Eu o conhecia, porque eu o tinha treinado. Ele teve problemas no passado, mas tinha virado a vida dele. No início, quando ele ligou e disse que precisava me ver, porque alguém queria me matar, eu pensei que ele estava brincando", relembrou Ramon, que ficou chocado assim que se encontrou com o antigo aluno da sua academia.

Quando o amigo, o tal Gustavo, lhe contou, eles decidiram gravar o momento em que Lulu iria oferecer o dinheiro para ele e, com essas evidências, eles entregariam a mulher para a polícia, a quem acusariam de tentar matar o próprio marido. [VIDEO]

Os planos de Lulu saíram frustrados depois que Gustavo escondeu um microfone dentro de sua roupa e gravou seu encontro com ela, antes de entregar as provas incriminatórias na delegacia de polícia do condado de Montgomery, em Houston, perto da casa de Sosa.

Publicidade

Os planos de Lulu para contratar um assassino vieram como um enorme choque para Ramon Sosa, que, depois de conhecê-la no clube de salsa Texan Mi Luna, em 2007, ficou apaixonado por sua beleza.

Mulher dos seus sonhos

Ramon, pai de três filhos - Mitchell, 26, Mia, 22 e Cris, 24 - estava divorciado quando conheceu Maria e logo a cortejou, antes de conseguir se casar com ela, em abril de 2010, convencido de ter encontrado a mulher dos seus sonhos. "Nada era demais para Lulu. Ela me fazia manicures, pedicure e massageava meus pés. Ela esfregava óleos nas minhas costas e me fazia massagens. Ela era o meu paraíso e meus amigos estavam com ciúmes", relembrou Ramon o tempo em que esteve casado com Lulu.

A vida foi sem problemas até o início de 2015, quando as preocupações financeiras, à medida que o ginásio passava por dificuldades, colocavam tensões no relacionamento. "Eu pensei que iríamos superar isso, mas do nada, Lulu me disse: 'Eu quero o divórcio'", revelou Ramon. Por causa dos problemas financeiros, eles continuaram vivendo juntos, até que Sosa recebeu essa chamada de Gustavo, provando as intenções assassinas de sua esposa.

Publicidade

Plano para apanhá-la

Assim que teve a gravação de Gustavo, eles pegaram a fita e deram para os policiais, que ficaram chocados e fizeram um plano. "Eles me pediram para fingir estar morto, para que mostrássemos as fotos para Lulu". Com o apoio do FBI, os Rangers do Texas pintaram maquiagem sangrenta em Sosa. Então, parecia que ele havia sido baleado na cabeça. O levaram ao deserto texano e o enterraram em uma sepultura rasa, que eles já haviam cavado.

Depois de tirarem as fotos, Ramon ficou três dias em um hotel, e um dos supostos assassinos que era, na verdade, um policial, foi se encontrar com Lulu, a quem mostrou as fotos. "Ela apenas sorriu", disse Ramon. Porém, a última risada foi dele, quando viu seu antigo amor ser condenada a 20 anos de cadeia, após se declarar culpada. #Justiça #Casamento