Publicidade
Publicidade

O presidente dos Estados Unidos da América, #Donald Trump, que foi eleito no fim do ano passado (2016) já realizou diversas ações (algumas delas muito polêmicas), desde que ele assumiu a presidência americana. Medidas como a possível construção (em uma parte faltante) e o aumento de um muro para separar os Estados Unidos do México, a proibição de alguns povos árabes e africanos de visitarem o país (#EUA), rigorosa inspeção de turistas (mesmo não sendo de origem árabe ou africana) são algumas das polêmicas que Donald Trump se envolveu.

Não foi só com árabes, africanos ou mexicano que Trump se envolveu em polêmicas, ele também está com uma “pequena briga” com o supremo líder da Coréia do Norte, o ditador Kim Jong-Un [VIDEO], eles já trocaram “farpas”, acusações e até ameaças de guerra.

Publicidade

O líder coreano diz que Trump está querendo dominar o mundo e a Coréia do Norte não irá se render aos domínios americanos, coisa que o presidente americano contesta, pois para ele a Coréia do Norte é que quer dominar o mundo, pois devido ao forte poder bélico, quem não concorda com as idéias de seu líder acaba sofrendo ameaças.

Desde alguns dias, Donald Trump está em uma viajem de negócios por alguns países asiáticos, como o Japão, a China, a Coréia do Sul, que além de serem seus aliados (EUA e de Trump) políticos e econômicos, eles também fazem fronteira com a Coréia do Norte. Durante sua visita a esses países, mais especificamente em Taiwan, o presidente americano, irá se encontrar com o Presidente da Rússia, Vladimir Putin, para tratar inicialmente de questões de investimentos em ambos os países e também de questões diplomáticas.

Publicidade

Essa visita causou um espanto para a população mundial, pois depois das eleições americanas, o presidente russo e algumas empresas de tecnologia foram acusados de sabotar (hackear) o resultado, para favorecer Trump, o que na época foi negado por ambas às partes, que diziam “não ter nenhuma relação e nem interesse em ter”. O outro motivo da visita do presidente americano é a ajuda para o treinamento para tropas russas que participarão da Copa do Mundo de 2018 (que será sediada na Rússia).

O que muitos estão com medo é de que haja uma revolta por parte do líder coreano Kim Jong-un, com essa aliança entre os líderes da Rússia e dos EUA e acabe tomando alguma atitude precipitada que coloque em risco toda a população Mundial, pois a Coréia do Norte têm uma forte indústria bélica (com até bombas atômicas de longo alcance e poder de destruição em seu arsenal). #Ásia