Publicidade
Publicidade

Um homem tentou persuadir um "pai" a abusar de sua filha de quatro meses, para que ele pudesse assistir pela internet. O depravado, Nathan Potter, de 31 anos, foi preso, após ter sido pego por um policial secreto, em um chat da internet. O policial se fez passar por um pai de uma bebê [VIDEO]de 4 meses, que na verdade não existia, mas só assim ele conseguiu perceber a perversão e doença desse homem.

Durante as conversas subsequentes, Potter tentou persuadi-lo a remover a fralda da bebê e a abusar da menina. Como resultado, Potter foi rastreado e preso. Os oficiais encontraram mais de 270 imagens indecentes de crianças, em todas as três categorias de abusos, no seu computador.

Publicidade

Havia 226 imagens na categoria A, mostrando crianças sendo submetidas a atos íntimos de penetração, 104 na categoria B, de crianças envolvidas em atos íntimos não-penetrativos e 44 na categoria C, de crianças em poses nus ou indecentes.

Potter, de Nuneaton, Warks, na Inglaterra, se declarou culpado de tentar incentivar ou incitar estupro de uma criança com menos de 13 anos. Ele também admitiu três acusações de possuir imagens indecentes de crianças e foi preso por 16 meses no tribunal superior de Warwick, na quinta-feira. O homem fica ainda obrigado a se registrar como um agressor sexual por um período indeterminado, mas por um mínimo de dez anos.

Durante a sentença, o juiz Andrew Lockhart disse: "Eu me acho absolutamente incapaz de suspender essa sentença. Você era um homem envolvido em uma conversa na Internet, com a intenção de que uma criança de quatro meses fosse tocada.

Publicidade

Você é um homem de 31 anos, de bom caráter, mas entre 2011 e 2016 você teve um acesso regular de imagens das categorias A, B e C de crianças, e você tinha um número muito grande dessas imagens. Havia uma série de imagens que tinham sido excluídas, mas eram imagens depravadas que perpetram o abuso das crianças envolvidas", revelou o juíz, antes de comentar o momento em que ele falou, pela internet, com o policial disfarçado.

"Muito mais perturbadoramente, a análise do seu computador revelou os registros de bate-papo em que você se engajou com uma pessoa que você pensou ser um pai que estava abusando de um bebê de quatro meses de idade, e você não se envolveu apenas uma vez nesse chat, mas em uma série de ocasiões. Você procurou incentivar essa pessoa, que era um policial secreto, a abusar dessa criança de maneiras assustadoras. Não houve mal porque não havia ninguém para ser abusado, felizmente", concluiu o juíz sobre um caso de enorme perversão.

Colin Charvill, defendendo, admitiu que a tentativa de Potter de encorajar o abuso de um bebê [VIDEO] "é completamente depravada".

Publicidade

O advogado revelou ainda que essa prisão veio em um bom momento para seu cliente, para ele poder resolver esse seu comportamento. "Ele está arrependido, e ele é inflexível que esse tipo de comportamento não será repetido", disse Charvill, antes de pedir que o juíz passasse uma pena suspensa para seu cliente. O juiz disse que seria "incapaz" de fazer isso, perante a descrição do caso. #estuprar #Bebê #Justiça