Publicidade
Publicidade

Um terremoto de 7,3 de magnitude atingiu a fronteira entre o Irã e o Iraque [VIDEO] neste domingo, dia 12, deixando mais de 450 mortos e 6.600 feridos. O tremor foi registrado na região de Derbendîxan, no norte do #Iraque, a alguns quilômetros da fronteira com o vizinho Irã. As informações foram veiculadas pelo portal G1 e pela agência de notícias Associated Press.

Segundo as informações da mídia presente na região, a maior parte dos atingidos – cerca de 440 mortos e a maioria dos feridos – é do Irã, onde o tremor foi sentido de forma mais acentuada. Já no Iraque, o #Terremoto deixou ao menos oito mortos e cerca de 70 feridos.

Publicidade

Com os números da tragédia ainda passíveis de aumento, – equipes de resgate ainda atuam nas cidades afetadas dos dois países – este se tornou o terremoto com maior incidência de fatalidade em 2017, superando o terremoto que atingiu a Cidade do México [VIDEO], no fim de setembro, quando mais de 350 pessoas morreram.

Segundo veículos de mídia, o tremor foi sentido às 21h18 do horário local, às 16h18 no horário de Brasília. O tremor foi sentido em todas as regiões do Iraque, – onde o tremor surgiu – incluindo a capital Bagdá, que enfrentou os efeitos do tremor por cerca de 20 segundos.

Além das vidas perdidas e dos diversos feridos, o terremoto também destruiu edifícios e construções diversas nos dois países. Segundo a rede britânica BBC, cerca de 70 mil pessoas ficaram desabrigadas no Irã, cujo tremor foi principalmente sentido na cidade de Kermanshah.

Publicidade

Localizada próxima à fronteira com o Iraque, a cidade de Sarpol-e Zahab também foi fortemente atingida, registrando mais de 300 vítimas fatais.

Até o fechamento deste texto, o número de desabrigados no Iraque ainda não havia sido divulgado pelas autoridades ou pela mídia local.

Ainda de acordo com veículos de mídia internacionais, a força do terremoto foi tão grande que o tremor chegou a ser sentido na Turquia, onde habitantes da cidade de Diyarbakir deixaram suas residências após sentirem os tremores. Apesar de ter sentido parcialmente os efeitos do tremor, a Turquia não registrou nenhuma vítima até o momento.

Segundo informado por um repórter ao site do jornal britânico The Guardian, a situação na região de Sarpol-e Zahab, a situação é “desorganizada”.

“Não há comida ou energia para os aquecedores, e o frio pode tirar mais vidas. Crianças e idosos estão particularmente afetados pela fome, e muitas famílias ainda não encontraram abrigo”, disse o correspondente, em declarações veiculadas pela agência de notícias iraniana ILNA.

Publicidade

Michel Temer, Papa Francisco e aiatolá iraniano se manifestam sobre a tragédia

A magnitude e o número de vítimas do terremoto, já apontado como uma das grandes tragédias de 2017, gerou comoção em todo o mundo e rendeu manifestações de importantes lideranças mundiais.

Em uma mensagem divulgada pelo Vaticano, o Papa Francisco se disse “profundamente triste” pelo ocorrido, afirmando que irá rezar pelas vítimas afetadas pela tragédia.

Presidente do Brasil, Michel Temer também falou sobre o terremoto: “Estendemos nossa solidariedade aos que perderam entes queridos, aos que se feriram, aos povos amigos desses dois países”, postou em sua conta no Twitter.

Líder do Irã, o aiatolá Ali Khamenei também se manifestou sobre a tragédia que afetou profundamente seu país, oferecendo condolências para as famílias das vítimas e afirmando que todos os setores do governo devem fazer o possível para auxiliar a população.

Nesta terça-feira, dia 14, um novo terremoto de magnitude 4,3 voltou a ser registrado no Irã. Até o momento não há informações sobre vítimas ou danos estruturais. #Irã