Publicidade
Publicidade

Uma mãe surpreendeu os médicos quando deu à luz ao segundo "bebê sereia" da Índia, mas, infelizmente, ela o perdeu apenas quatro horas após o nascimento. O bebê sem nome e cujo gênero não era claro, sofria de uma condição rara conhecida como "síndrome de sereia".

O bebê nasceu [VIDEO] com suas pernas fundidas, tal como uma sereia, na quarta-feira (6), no Leste da Índia, deixando os médicos chocados. Muskura Bibi, a mãe do bebê, não pode pagar por qualquer exame durante a gravidez e, portanto, ela só descobriu sobre a condição do bebê quando o viu pela primeira vez após o parto.

Mãe não fez exames durante a gravidez

O pediatra do hospital, Sudip Saha, disse que os pais são trabalhadores rurais e que não fizeram medicação ou tratamentos durante a gestação, para não gastarem dinheiro.

Publicidade

O médico afirmou ainda que esse caso muito raro poderia ser potenciado por uma nutrição inadequada.

A mãe do bebê tem apenas 23 anos e não poderia imaginar a condição de seu bebê. Ela não fez qualquer ultrassom durante toda a gestação.

Segundo caso na Índia

O médico Sudip Saha disse que nunca havia visto um bebê desse tipo antes. "Esse é o primeiro caso de sirenomelia no estado e apenas o segundo no país", disse o médico, explicando ainda que o bebê nasceu com a parte superior do corpo formada, mas o problema estava abaixo de sua cintura, com suas pernas unidas. "A parte inferior do corpo do bebê não ficou totalmente desenvolvida", disse o médico, que ficou chocado e desolado por esse caso em seu hospital.

Infelizmente, os #Bebês com essa condição não sobrevivem. Já em 2016, uma mulher de Uttar Pradeash, no Norte da Índia, deu à luz o primeiro "bebê sereia" conhecido do país, que só sobreviveu durante 10 minutos.

Publicidade

Sem sobreviventes até essa data, a médica Lindsey Fitzharris, que tem doutorado na Universidade de Oxford, disse anteriormente ao jornal Daily Mail que a condição ocorre quando o cordão umbilical não consegue formar duas artérias e é esse suprimento de sangue que vai atingir o feto. A maioria dos bebês com essa patologia nasce morto ou morre logo no mesmo dia, por insuficiência renal e da bexiga.

O que é a síndrome da sereia?

De acordo com a Organização Nacional para Distúrbios Raros, esta doença chama-se sirenomelia, mas também é conhecida como síndrome da sereia [VIDEO]. É uma condição extremamente rara que causa uma fusão parcial ou completa das pernas. Essa rara condição, a síndrome da sereia, afeta um em cada 60 mil a 100 mil nascimentos. Os portadores também podem ter complicações gastrointestinais e a falta de rins, ou subdesenvolvidos.

A causa é desconhecida, mas a maioria dos pacientes morre como recém-nascido devido às complicações pulmonares e defeitos cardíacos. O tratamento envolve a separação cirúrgica das pernas.

É esse o único registro desse bebê:

#India #Saúde