Publicidade
Publicidade

O bullying pode matar pessoas e a escola é o ambiente com maior incidência dessa prática. É na escola que todos aqueles que nunca se encaixaram no padrão heteronormativo e patriarcal da sociedade, sofreram algum tipo de bullying.

De crianças acima do peso à LGBTs, a escola geralmente exprime um discurso de exclusão mantido pelos alunos durante o convívio entre eles. Desde pequenas, várias crianças sofreram bullying nas escolas e conseguiram sobreviver, restando apenas cicatrizes daquele momento de rejeição entre os colegas. Mas nem sempre somente cicatrizes ficam da prática do bullying, que também pode resultar na perda de vidas inocentes, de crianças que ainda não deveriam entender sobre o que é ser rejeitado.

Publicidade

Uma menina de apenas 11 anos decidiu tirar a sua própria vida, após não estar satisfeita com o seu corpo. Tão pequena para se preocupar com algo imposto pela sociedade que dilacera o corpo das mulheres em busca de uma padronização.

Criança sofreu com a ditadura do corpo feminino aos 11 anos e tirou a própria vida

A menina não aguentou toda essa pressão diante dela e não se via satisfeita com o corpo que tinha. Milly Tuomey postou uma foto muito tempo antes de morrer, evidenciando que ela poderia estar com problemas de aceitação. Não é normal que uma criança de onze anos fale sobre a morte nas redes sociais, e a doce menina chegou a comentar em seu perfil que tinha um dia específico para morrer.

Menina postou foto nas redes sociais, dizendo que gostaria de morrer em um dia específico

A escola chamou os pais e falou sobre a publicação de Milly, mas isso não foi o suficiente para salvar a vida da menina de 11 anos.

Publicidade

A foto foi postada por ela, dois meses antes da tragédia acontecer, em seu perfil no #Instagram. Alguma coisa estava errada com a menina e os pais não souberam identificar, por mais que a criança tenha sido levada em tratamento após a publicação, Milly decidiu tirar a sua própria vida.

Milly escreveu com o seu sangue algo terrível em seu diário, momentos antes de morrer

O caso aconteceu em Dublin, na Irlanda, e chocou pelo fato de Milly ser tão nova para ter tirado a própria vida. A menina viveu a ditadura do corpo feminino aos 11 anos de idade, muito antes de alcançar a puberdade. Os pais da criança levaram Milly até um médico e foi neste momento que ela confessou não estar satisfeita com a sua aparência, dizendo ainda que estava disposta a cometer algo contra si mesma.

Mesmo depois de fazer tratamento psiquiátrico, Milly continuou flertando com a morte, e os pais encontraram um diário com vários dizeres suicidas da criança em seu quarto. A morte de Milly aconteceu em 1° de janeiro de 2016, após um jantar em família em que a menina se trancou no quarto após a refeição.

Publicidade

A criança cortou os pulsos e escreveu em uma agenda com seu sangue que ‘garotas bonitas não comem’, e falecendo logo após seus pais a encontrarem em estado crítico no quarto.

Veja foto de Milly

Leia também:

Jovem desaparece em viagem e pode ser a primeira mulher terrorista do Brasil

Aluno agride professor com soco e chute dentro de sala de aula; vídeo [VIDEO] #padrão de beleza