Publicidade
Publicidade

Um ladrão que feriu os órgãos genitais durante uma tentativa de roubo a uma loja está tentando processar o dono do estabelecimento comercial. Conforme relatos, três homens usaram uma marreta para arrombar a porta de uma loja em Kingscourt, no condado de Cavan, na Irlanda. Mas, quando os suspeitos tentaram fugir do local, foram surpreendidos por um guarda armado, que tinha sido avisado por um vizinho. O trio foi preso [VIDEO].

Conforme relatos do programa de rádio Liveline, da RTE, feitos na segunda-feira (8), o dono da loja, identificado apenas como Kevin, revelou que um dos ladrões estava tentando processá-lo. Segundo o proprietário, durante o roubo, que aconteceu no mês de novembro de 2015, os ladrões tentaram escapar do guarda.

Publicidade

"Ele tentou escapar e se machucou em uma prateleira. Ele cortou seus testículos [VIDEO]”, disse Kevin aos ouvintes.

Porém, no mesmo mês, Kevin disse que havia recebido uma carta do advogado do assaltante pedindo que ele se responsabilizasse pelo acidente. "Meu advogado me avisou para esperar e ver. Nós não fizemos nada", disse Kevin.

Segundo informações, o advogado do ladrão apresentou o caso no Conselho de Avaliação de Lesões Pessoais, que é o primeiro nível de escala legal para reivindicações de seguro relacionadas as lesões na Irlanda. Conforme relatos, o conselho enviou uma carta para o empresário dizendo-lhe se ele queria que analisassem o caso, o que custaria uma taxa de processamento de 600 euros (R$ 2,31 mil). "Meu advogado me recomendou que entregasse à companhia de seguros. Se eu fosse ao tribunal, eu poderia ser totalmente responsável.

Publicidade

Eu acredito que a companhia de seguros não está aceitando a responsabilidade", relatou Kevin.

O dono da loja disse até agora que não reivindicou o seguro para cobrir as despesas do roubo, acrescentado que já havia substituído a porta traseira danificada e câmeras de segurança que haviam sido destruídas durante o roubo de seu próprio bolso. O empresário acrescentou que o advogado do ladrão estava enviando cartas pela prisão de Castlerea, onde seu cliente está preso por outras acusações.

"Quando recebemos uma reclamação, é exigido por lei que escreva para a pessoa que o pedido é feito contra a opção de ter o caso avaliado pelo conselho, que é um sistema de baixo custo e rápido", disse um porta-voz do Conselho de Avaliação de Lesões Pessoais. No entanto, o presidente do órgão, o juiz Nicholas Kearns, descreveu a situação como "horrível [VIDEO]".

Ele disse à RTE: "É horrível. Não há outra maneira de descrevê-lo. Um cidadão que passou por uma experiência como essa, para defender uma reivindicação ou atender a uma reivindicação, tem que desembolsar 600 euros pela facilidade de ter o assunto processado pelo conselho". #Caso de polícia #Investigação Criminal #Polícia