Alexa
Inscreva-se e fique por dentro de assuntos relacionados ao desemprego no Brasil e no mundo.

Desemprego

|
Canal
Inscrito 1 Inscritos
Essa é uma comunidade sobre Desemprego. Inscreva-se agora para receber as últimas atualizações e se conectar com outros membros.
Administrador: Patricia
More
Inscreva-se no canal
1 Inscritos
Se inscrevendo, vocë receberá todas as atualizações sobre Desemprego
Quero receber atualizações sobre Desemprego
Mostre ao mundo a sua paixão
Você também pode administrar um canal na Blasting News e ser pago por isso.
Qual o tema que te inspira?
Alcance uma audiência maior
É uma pessoa pública, meio de comunicação ou influenciador famoso?
Peça um convite para receber o seu próprio canal

Inscreva-se e fique por dentro de assuntos relacionados ao desemprego no Brasil e no mundo.

Taxa de desemprego no Brasil ou de desocupação oficial no Brasil é determinada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os valores são determinados a partir de estudos feitos a cada mês com a População Economicamente Ativa (PEA). As metodologias de medição do desemprego variam ao longo do tempo e de acordo com a pesquisa.

O IBGE classifica como pessoas desempregadas ou desocupadas aquelas que não estavam trabalhando, estavam disponíveis para trabalhar e tomaram alguma providência efetiva para conseguir trabalho nos trinta dias anteriores à semana em que responderam à pesquisa.

Para as pesquisas realizadas entre 1983 e 2002, o IBGE considerava população em idade ativa (PIA), aqueles maiores de quinze anos de idade.

De acordo com a nova metodologia do instituto, fazem parte da população em idade ativa os maiores de 10 anos de idade. Na definição de população empregada ou ocupada, o instituto considerava o limite mínimo de 15 horas por semana para o trabalho não-remunerado, enquanto a nova pesquisa inclui aqueles que trabalharam pelo menos uma hora na semana.

Para exprimir o sentimento dos brasileiros em relação ao desemprego, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) realiza, trimestralmente, a pesquisa de Índice de Medo do Desemprego. O estudo fazia parte, até 2008, do Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC), também elaborado pela CNI, que sintetiza a opinião dos brasileiros sobre decisões de consumo. A Pesquisa de opinião da qual se obtém o Índice de Medo do Desemprego teve início em 1996. Sua média apresentou recuo desde o final de 2002, com algumas exceções, impactadas principalmente pelo cenário político do país. Como ocorreu em março de 2007, quando foi registrado o aumento de 9,4% na comparação com o mês de dezembro de 2006, e entre os meses de dezembro de 2008 e março de 2009, em função do acirramento da Crise internacional.

Em 2014, o índice alcançou 76,1. Atualmente, divulgado em setembro de 2016, o medo do desemprego apresentou queda e encontra-se em 61,2 pontos, mas segue acima da média.

Inscreva-se e fique por dentro de toda notícia que envolva o mundo do desemprego.