O mercado de trabalho está muito estreito e dinâmico, apesar de ser flexível. Com as mudanças globais, muitas profissões inovadoras tomam vulto no cotidiano das pessoas. Ou seja, quem diria, a algumas décadas atrás, que existiria um profissional chamado de "Corretor de Cabelos"; ou, "Psicólogo de Animais"; ou, "Marido de Aluguel"; entre tantas outras profissões que se estabelecem dia após dia na sociedade. Isto tudo cheira à aquele "jeitinho brasileiro".

Dentro de uma organização, torna-se mais difícil de manter o emprego. Hoje, ninguém está seguro. Nem mesmo as empresas estão garantidas no mercado como criadores de postos de trabalho. Isto é um fato. Todos, empresa e empregado, têm de entrarem em processo de adaptação ao novo ambiente mercantil.

Para os que conseguem se manter dentro de uma organização, é necessário que busquem aperfeiçoarem-se constantemente. Buscar capacitação de, por exemplo, Coaching. Este processo nada mais é do que a capacitação do líder em alguma organização. Seja ela qual for. Dentro das empresas os executivos estão de olho nos que se despontam para este lado. Naqueles que possuem características natas e inatas para a função.

O líder pode muitas vezes não ser um gerente ou um alto executivo. Pode-se encontrá-lo até mesmo nos baixos escalões da organização. São seres que parecem iluminados com os "dons de liderança". Você pode até ser um e não se dar conta disto!

Então, para se destacar entre os grandes, muitas vezes, o líder deve, em primeiro lugar, impactar positivamente o desempenho de todos na organização com atitudes como delegar autoridade e responsabilidade; proporcionar aprendizagem e oportunidade de desenvolvimento; incentivar o risco; incentivar a excelência; oferecer reconhecimento do desempenho e feedback; orientar a carreira; e, reconhecer as necessidades individuais. E, deve também criar oportunidades para a cooperação das pessoas na organização comunicando os planos e cronogramas; promovendo um ambiente de aprendizagem contínua; sendo aberto a ideias alternativas; comunicando o progresso obtido com relação aos objetivos; comunicando as diretrizes para progressão na carreira; e, mantendo a imparcialidade e os padrões éticos.

Em suma, para que um profissional se destaque na organização onde se encontra, não existe uma fórmula de bolo, se houver nele características que o indique como um líder faz necessário que procure em primeiro lugar se autoanalisar e colocar em prática estas dicas acima. No mais, para se manter em um emprego, muitos precisam contar a sorte.