Provavelmente muitos de nós já deparamos com um "boi" dormindo eternamente na beira de uma das estradas do sítio e/ou fazenda propriedade nossa e/ou que visitamos nos finais de semana não é mesmo? Nesse cenário, além do "boi", também é possível perceber a presença de insetos, animais carnívoros, e até - se no início da putrefação, um tal urubu rei, ou seja, um animal carnívoro qualificado e especializado pela própria natureza em chegar primeiro e retirar os olhos do coitado, em ação. Aliás, dizem que nenhum outro urubu pode se aproximar da vítima antes da passagem do urubu rei. Interessante não é mesmo? Pois esse tipo de cena é muito comum e possível de ser vista, afinal de contas a vida reserva coisas estranhas para todo ser que respira sobre e em certos casos, até sob o solo da terra.

Publicidade
Publicidade

Se você não sabia disso passou saber. É só conferir. E daí?

Daí é que do cenário citado se pode formular muitas conclusões, e uma delas é tem pessoas que gostam de levar vantagem até na desgraça de seu próximo. Como assim? A melhor forma de se entender certos assuntos e/ou explicar certos cenários é exemplificar, por exemplo: um trabalhador que vai ser ausentado do seu local de trabalho de forma temporária e/ou permanente, por causa de algo ou de alguma coisa que ocorreu, seja uma doença, um acidente, uma aposentadoria etc. e etc. e tal. Imaginaram? Pois é!

Quando esse tipo de necessidade ocorre não é difícil ouvir singelas e desinteressadas indagações do tipo "será que posso ocupar a vaga dele(a)?"; "será que fulano voltará?"; "Vai com Deus, e de preferência não volte mais"; "Òh! Meu querido, vem correndo preencher uma ficha no DP porque fulano...", e por ai afora vai, ou seja, são urubus reis pós-ataque (olho grande) de certa forma se beneficiando da desgraça do seu próximo, em vista benefício próprio ou ao próximo a si.

Publicidade

Esse tipo de ocorrência é fática. Ocorre a todo momento, e vítima e/ou interessado nesse tipo de coisa se não for você hoje é certo que poderá ser amanhã. Pode acreditar nisso. Quer um exemplo que ainda não saiu das fraldas? O posto de Ministro da Justiça em iminência de ter novo titular. Há se eu tivesse competência para tal...

As espécies não podem esquecer nos ambientes de trabalho é que são o que são porque ainda são úteis à organização; possuem o posto e/ou função de trabalho não é porque é esse ou aquele profissional qualificado e/ou especializado, mas é porque de uma forma ou de outra ainda gera lucros à organização. A espécie que se sente "demais" pode estar certa que na fila de espera sempre existirá um(a) entremeio à multidão de "ôio" em sua possível liberação, para assumir o legado que você possui. Isso é fato. "Dói" saber, mas...

O que fazer então para viver cada momento ao máximo? Ser humilde (o que não significa ser trouxa); dar o melhor de si ao momento que vive etc.

Publicidade

Se sua função for prevenir ocorrências não desejadas no ambiente de trabalho ou recrutar e/ou demitir pessoas, de coordenar um posto ou linha de produção ou seja lá o que for, dê o seu melhor, porque o amanhã não te pertence, e quando descobrirem isso pode estar certo de que vão "urubonizar" a sua posição. Creia nisso.