Apesar dos avanços tecnológica e nas mudanças das regras na economia milhares de pessoas permanecem em situação de miséria, excluídas sistematicamente dos possíveis benefício e avanços tecnológicos.

A exclusão social gerada pala globalização é a mais perversa em toda a história, o mundo globalizado não acabou com as desigualdades e muito menos com a exploração. A forma de combate á pobreza , pode ser organizadas em três dimensões, a assistência social , a inserção ao mercado e a cidadania. O papel do Estado neste mundo de transformação serve como um agente estratégico, gerando uma demanda de maior participação dos cidadãos e a necessidades de decisões estratégicas e rápidas.

Publicidade
Publicidade

O papel do Estado frente a globalização induz a pensar que isto seja consenso , universal e que em frente a ela o único papel a ser desempenhado pelo Estado é desemvover uma política de inserção no mundo globalizado.As desigualdades sociais deve ser combatidas pela união das forças sociais e políticas internas, esta devem adotar as principais medidas.

Por isso vivemos uma globalização perversa, essa globalização empobrecedora, que tudo impõe . engloba e manipula, só pode ser confrontada, como a única via de salvação.

Eu acredito que essa contradição, não vai acabar, de um lado o aumento da pobreza ,a má distribuição de renda e a exclusão social. Do outro os avanços na tecnologia e melhoramento na economia. As autoridade precisam adotar medidas que acabem com esses confronto e que tragam a igualdade perante a sociedade.

Publicidade