Muitos profissionais em seus postos de trabalho às vezes trabalham, trabalham, e trabalham exaustivamente planejando algo que poderia resultar em bom negócio para todos na organização e/ou às pessoas interessadas, mas acabam percebendo que o que estão fazendo vai, na verdade, é para o bé-lé-léu. Se o planejamento não vai ou foi à frente, por que ou quais foram os possíveis porquês do fracasso?

A possibilidade de espécies (homens e/ou mulheres) dizerem que o motivo do fracasso se deu pela "pessimidade" de sua elaboração ou que houve falhas nas intenções ou que o autor não é qualificado o suficiente para apresentar o conhecimento, etc., certamente seria o caminho mais fácil à apresentação da(s) justificativa(s), mas nem sempre a falha é culpa de quem planejou a coisa.

Publicidade
Publicidade

Possibilidades iguais e/ou semelhantes às formuladas da primeira à terceira linha do parágrafo anterior tendem a conceito comum, ou seja, são deduções de espécies que nem sempre sabem o que falam, ou seja, falam por falar e pronto. Na verdade, seriam vozes com a finalidade única de empobrecer ainda mais o conhecimento que possivelmente lhes atrapalharia no cabide de emprego onde estão inseridos, profissionalmente falando. Bom, nesse caso qual é o possível motivo então?

O possível motivo, segundo certas normas apresentadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas pode ser a falta de envolvimento e/ou comprometimento da Alta Direção (AD), em primeiro plano, nos objetivos do planejamento, em seguida, o mesmo comportamento, mas dessa vez dos que fazem parte do sistema e isso é sério, pois se a AD não se envolver e/ou no mínimo participar mesmo que indiretamente do que se pretende, os demais é que não farão e/ou se envolverão mesmo, pois toda espécie sabe que se não houver exemplo de "cima" para baixo...

Publicidade

O envolvimento das pessoas interessadas é exclusividade de que tipo de organização? Bom, em todas as organizações, em todos os sistemas administrativos e/ou operacionais enfim, todos devem ter compromisso tanto com o planejamento, quanto os resultados, isso em ciclo constante. Isso é fático.

Quantos de nós já vivenciamos episódios assim, ou seja, algo que tem tudo para finalizar em bons resultados, mas acabam por ser direcionados ao arquivamento? Se alguém disser que nunca viu e/ou presenciou um planejamento não dar certo é porque, entre tantas possibilidades de justificativas, a cegueira lhes vendou a visão. Muitos planejamentos à melhoria e/ou inovação de algo e/ou alguma coisa que poderiam ter dado certo em nossa sociedade não foram adiante porque as verbas foram [censurado] ainda na mesa de planejamento anexa à AD. Oxalá mundo "cão".

Não é à toa que meus patrícios disseram que quem desejar agir e/ou programar honestamente pode ir é para lá, lá do outro lado, para o lado do esquecimento, mas se alguém tiver que fazer algo, então que faça bem feito da primeira vez, para evitar o retrabalho.