Imagens revelam o que foram alguns momentos da histórica cheia do Rio Madeira na cidade de Porto Velho capital do estado de Rondônia, acontecida com início no dia 12 de fevereiro de 2014 deixando bastante distruicão e desabrigados. Até então muitos atribuirão como consequências a própria natureza, os problemas emblemáticos relacionados ao clima e o aquecimento global, à acão do homem, principalmente no que se refere o chamado avanco do progresso.A falta dos estudos antecipados sobre os impactos ambientais, que deveria levar pelo menos uma década de antecedência, este sendo feito em pouco mais que 3 anos, o que foi insuficiente pois existe um fenômeno típico na região, que a cada 10 anos muda-se o ciclo das águas (marés) na região, o fato do rio estar ainda em formacão, onde já no seu leito anterior a estas alteracões sofria com alagacões, porém nunca antes como essa, agora, devido a proximidade das hidréletricas construídas, até mesmo o fato de seguindo o curso do rio, a maior ter sido construida anterior a menor, que por sua vez recebendo a vazão causa o conhecido efeito funil, os erros de cálculos ocorridos nas áreas  previstas para inundacão, que extrapolarão seus limites em centenas de metros, inundando assim até rodovias projetadas e construidas  para atenderem a demanda, assim como o controle de vazão com sua imensa pressão causada pelas abertura de comportas, tanto na usina hidrelétrica de Girau, localizada na cidade de Jaci-Paraná, quanto na também usina de Santo Antônio Energias na capital Porto Velho que ficam a menos de 100Km entre si.

Publicidade
Publicidade

Por ai vai uma sucessão de erros.