Os protestos que vieram à tona nesses últimos dias, podem ser vistos como o direito de um cidadão ou uma inversão de valores?

Durante a Copa e mesmo antes de ela começar, aconteceram vários protestos, o cidadão quis mostrar que tem direitos, mas esqueceram dos seus valores, valores estes os quais são os limites, o respeito pela coisa alheia, pela coisa pública, uma vez que, vários locais públicos foram depredados, saqueados, pichados. É esse o conceito de valores que o cidadão mostra? Há que se falar na inversão de tais valores, protestos são válidos, mas têm que ser coerentes, protestar por direitos sim, sem violência.

Devemos mostrar aos visitantes, aos que aqui estão chegando, que o Brasil não é povoado por macacos, não existem cobras nas ruas (isso em desacordo com o falado por alguns países), e que nossos governantes nada declararam, evitando com que assim a imagem do Brasil não passasse de um chavão aí fora.

Publicidade
Publicidade

Enfim, protestar é válido mas sem violência e sim com limites, com ideais, foco naquilo pelo qual se protesta.

Por fim, durante os protestos uma invasão de pessoas mascaradas, dão a impressão de que todos que ali extravasam seus desejos são pessoas que buscam a bagunça ao invés do protesto saudável, buscam a violência ao invés da Paz, buscam saquear ao invés de respeitar o imóvel daquele que lutou para conseguir um local onde ganhar o seu pão de cada dia.

Enfim, protestar é válido, é direito, é oportunidade para demonstrar, extravasar, lutar por direitos, mas também respeitar, ter limites e respeitar o próximo. Porque nosso limite termina onde começa o do ouro.