Pessoas do mundo todo ouvem dizer que a idade de uma pessoa interfere na importância da produtividade nas organizações, mas ao que tudo indica quem diz e/ou menciona isso se esquece que idade nada tem a ver com motivação da pessoa. E na medida em que vão pronunciando essa barbaridade vão, na verdade, "matando" quem ouve, pois ninguém gosta de ouvir algo sobre a sua idade biológica.

Impressionante nisso tudo é perceber que barbaridades desse nível geralmente são pronunciadas por profissionais que, se achando detentores do saber em certas áreas das Relações Humanas, acabam é se achando "poderosas" o suficiente para dizer o que bem querem sem se importar com o que as pessoas alvos vão pensar sobre a capacidade e também a experiência que possuem não por natureza, mas pelos esforços que tiveram e viveram no passado não tão distante.

Publicidade
Publicidade

É muito provável alguém já ter dito que existem pessoas na casa de seus 60, 70, 80... anos que são na verdade grandes exemplos de vida pela vitalidade, pela vontade, pelo desejo de construir o bem etc., enquanto que outras pessoas em seus 20, 30... anos dão é nojo até de serem vistas à distancia porque não inspiram e nem aspiram nada nessa vida. Analisando esses extremos, quem é a pessoa "velha"?

A sociedade e as leis muita das vezes se esforçam para capturar, julgar e condenar espécies racionais que matam umas ás outras, e não medem esforços para penalizar, principalmente quem rouba galinha, mas o crime vai muito além de um poleiro se analisado a contenda. Quem ofende "o" moral do seu semelhante também devia ser considerado um assassino em série, nesse caso, por agir em silêncio contra a pessoa, ou seja, quem já se encontra na terceira idade (absurda qualificação).

Publicidade

Quem vai escapar da passagem dos anos ou vai parar no estágio entre o novo e o velho? Ninguém vai ter esse privilégio em nenhum lugar nesse mundo, e isso é tão verdade, quanto um mais um nem sempre é igual a dois. Quem gosta de se sentir improdutivo? Provavelmente os sábios não vão gostar, mas as espécies tolas, assassinas de sonhos provavelmente gostam de se sentir assim porque são inúteis querendo inutilizar a capacidade de transformação do seu semelhante.

Seria bom se a descriminação não existisse no sentido de "taxar" as pessoas segundo a idade biológica que alcançaram. Se o tempo de plantar é importante, também o de colher deveria ser visto com o mesmo valor, pois os que colhem cuidam das sementes que também envelhecerão um dia.