O tema em questão pode até parecer estranho para algumas pessoas, mas o interesse pelo assunto e/ou abordagem se pode afirmar que é de todas as espécies racionais (♂ e/ou ♀), principalmente aquelas que no domínio de suas casas escolhem o solo, preparam a terra, capinam, destorroam, plainam, cercam, adubam, plantam, e de vez "e sempre" jogam uma aguinha para que o que semearam possa crescer conforme designo da #Natureza.

Bom, plantar dizem que é uma arte, pois nem tudo o que uma pessoa planta nasce, isso em se falando daquilo que realiza fotossíntese e não nos termos morais. Por quê? Porque é preciso saber coisas que só a vovó sabia, por exemplo, o momento da lua, aliás, para que serve isso mesmo? É certo que pouquíssimas pessoas saibam responder essa pergunta, afinal, o que tem a lua a ver com a superfície terrestre em épocas de plantação? Tem tudo a ver, mas explicar o porque (não sei explicar.

Publicidade
Publicidade

Minha avó sabia, mas ela já se foi).

Mãos, olhares, carinho, certeza, e outros aparentemente pequenos detalhes dizem fazer diferença, e é por isso que nem sempre o que se planta "dá", ou melhor, cresce, repetindo, isso em relação ao que realiza fotossíntese. Bom, amigos "amigos" e inimigos à parte. Isso significa que até na natureza se tem de acreditar que algo é possível quando se crê, mas existem inimigos também, mas que inimigos?

Por incrível que possa parecer, alguns da espécie humana se declaram de forma consciente ou não inimigos da natureza. Os "amigos" se comportam de forma semelhante ao que está indicado no primeiro parágrafo, já os inimigos são aquelas pessoas que não podem ver nada crescer que vão logo destruindo a coisa, cortam os pés, destroem a vida do "pé", por exemplo, de couve só porque "gasta água"; cortam o pé de laranja só porque "espinharam" os dedinhos ou simplesmente porque não gostam do que é verde.

Publicidade

A essas espécies dá-se o nome de "formigões" de duas pernas.

Os formigões de quatro penas geralmente são irracionais e dependem de ingerir o verde para viverem e mais tarde nos fornecerem "carne". A esses formigões dá-se o perdão porque não sabem o que fazem, isso se comparados ao ser humano, claro. Fato é que a destruição nem sempre é necessária, mas ocorrem em detrimento de um gosto simplesmente, sem se importar com o que as outras espécies racionais pensam e/ou desejam, seja para saciar a fome, seja para se beneficiarem em uma terapia, talvez. O que fazer então para eliminar os formigões de duas pernas?

Para eliminar esse tipo de formigão, o que se tem a fazer é muito simples: é dar-lhes serviço a fazer, por exemplo, uma pintura, uma reforma na edificação, etc. Outra alternativa: sugerir uma ou uma centena de viagens de preferência a um deserto para sentirem na pele a falta que um vegetal faz para o ser humano. No pior das hipóteses, sugira aos formigões de duas pernas para juntarem os galhos que cortaram para colocar fogo, coloquem fogo, mas que fiquem próximos, mas bem próximos mesmo da energia gerada para sentirem o dano que fazem ao destruírem a natureza sem ter motivo realmente explicável.

Publicidade

Formigões.