No mundo corporativo uma das maiores preocupações que se observa é a ocorrência de acidentes diversos, uns relacionados aos ambientes de #Trabalho, outros ao plano físico das instalações, e na cirando da procura da culpa, ou seja, quando se procura saber quem e/ou o que causou essa ou aquela ocorrência indevida a culpa geralmente é atribuída à espécie humana, seja aos homens, sejam as mulheres em seus postos de trabalho direto e/ou indireto.

Estudos apontam que a espécie humana possui diversos comportamentos nem sempre controláveis, por exemplo, o fato de a espécie ter dormido mal na noite anterior; um problema de ordem psicológica; notícias repentinas, etc., podem predispor o corpo a sofrer algum tipo de dano.

Publicidade
Publicidade

Além desse, fatores pessoais também podem predispor o indivíduo ao acidente, dentre eles, as brincadeiras; o exibicionismo; a introspecção; a extroversão, etc. Não se pode esquecer que quando um individuo negligencia, comete imprudência, e ou uma imperícia, este também pode ser tanto o causador, quanto a vítima de um infortúnio no ambiente onde se encontra e não somente no de trabalho.

Já o ambiente também contribui à ocorrência de danos, por exemplo, buracos no piso; altas e/ou baixas temperaturas; as intempéries, etc., mas não se pode esquecer que o ambiente ou é condicionado pela ação da espécie humana ou é o natural. Novamente nesse caso percebe-se que a ação da espécie humana tem parcela de culpa, de um lado, mas do outro os fenômenos naturais podem ser causadores de danos, no entanto, é a espécie humana que tem de se adaptar ao meio ambiente e não ao contrário, nesse caso, a prevenção e/ou previsão tem de ser colocada sobre os cuidados a fim evitar os danos.

Publicidade

Pode-se dizer que nos ambientes corporativos a tendência de atribuir a culpa à espécie humana tem sido muito comum, ou seja, nunca o ambiente será o culpado pelo dano ocorrido, mas isso nem sempre é verdade. Como resolver essa questão de forma passiva e inteligente? É o que será visto a seguir.

Uma das propostas para encontrar a causa da ocorrência é fazer análise imparcial sobre o fato, ou seja, o mais importante no emaranhado de dúvidas e tendências é encontrar as causas e não a espécie culpada, pois pelo que se sabe a espécie humana, de uma forma ou de outra, de forma direta e/ou não sempre será a proporcionadora da ocorrência desse ou daquele dano, o que não é bom nem para um, e nem para o outro no contexto existencial.