A ocupação do Brasil colonial foi uma das consequências da expansão marítima portuguesa. O sentido da colonização brasileira foi produzir especiarias e produtos tropicais, como cana de açúcar para comercialização na Europa. Os principais elementos da formação econômica colonial são o latifúndio, a monocultura e o #Trabalho escravo. Alicerçada nesses três pilares, surgiu no Nordeste brasileiro, A economia canavieira, que teve seu auge nos séculos passados. Esse modelo econômico entrou em crise após a invasão holandesa, que terminou em 1654. Expulso do Nordeste, os holandeses utilizaram, em suas colônias nas Antilhas, os conhecimentos que haviam adquirido na produção de açúcar, provocando a quebra do monopólio brasileiro na oferta do açúcar mundial.

Publicidade
Publicidade

A economia mundial não se resume aos ciclos de monocultura para exportação. A ocupação do interior da colônia foi resultado da pecuária extensiva, do aprisionamento do índio, da implantação da missões jesuítas, e da atividade mineradora. A articulação espacial dessas atividades gerou alterações significativas na organização social e política do Brasil, favorecendo sua independência de Portugal.

O crescimento da atividade econômica no interior da colônia brasileira determinou o surgimento de um intenso conflito entre as elites locais e a metrópole. O foco central desde embate era o pacto colonial. O esforço de manutenção da bases do pacto através da política pombalina significadamente o quadro. A vinda da corte portuguesa e a maior dependência da tutela inglesa causaram o rompimento definitivo do pacto colonial, situação formalizada com a assinatura dos tratados com a Inglaterra.

Publicidade

O café se tornou o principal produto de exportação do Brasil, expandindo sua cultura de maneira acelerada. Encontrou condições excepcionalmente propícias para esse crescimento, reunindo vantagens associadas à facilidade para sua plantação em larga escala. A possibilidade de utilização de mão-de-obra escrava ociosa em outras culturas foi também um fator altamente favorável no início da produção no Vale do Paraíba.