A quebra da bolsa de valores de Nova York trouxe a pior crise mundial, que foi a crise de 1929. Foi uma das crises arrasadoras, também conhecida como "A Grande Depressão". Pessoas com grandes riquezas ficaram pobres da noite para o dia, e muitas se suicidaram. Foi uma das crises mundiais marcantes no mundo, que trouxe muitas consequências. E a solução para a crise surgiu apenas no ano de 1933. A crise financeira atual, que se originou no mercado norte-americano, contaminou os demais países desenvolvidos. O efeito contágio da crise se espalhou e o governo não conseguiu ter um controle da situação, que agora está virando um caos nos países.

O desemprego é hoje o que mais assombra os brasileiros, ainda mais com a crise financeira em vários países.

Publicidade
Publicidade

Aqui no Brasil a crise agravou-se desde 2008, e agora está pior. A mídia diz que neste semestre a tendência da crise das montadoras é piorar. Houve muitas demissões, a venda do comércio caiu e algumas pessoas estão deixando a cidade. Continua crescendo o número de desempregados e o governo promete várias jogadas de projetos para acabar com a crise financeira.

O governo luta pela melhoria dos mercados e instituições financeira e pela recuperação das economias avançadas. Buscam resultados para apresentar à população. Quando um país suspende suas dívidas ou quebra de ações no mercado são fatores que contribuem para o aumento da crise financeira, que gera todo esse transtorno no país. A população sofre, porque muitos pais de família perdem o emprego, ficam sem saber como vão sustentar seus filhos, e aí começa todo o transtorno dentro de casa, por falta de alimento ou recursos para manter seu lar.

Publicidade

Isso acaba gerando separação entre as famílias, que acabam ficando desunidas. Muitos jovens interrompem seus estudos e deixam a faculdade por perderem seu emprego e muitos são obrigados a devolver seu carro para as financeiras por não manterem as mensalidades.

As crises continuam a ocorrer por todo o mundo e parecem se produzir com certa regularidade, os especialista dizem que não há uma solução rápida para acabar com a crise atual, mas que há solução para amenizar. A crise econômica de 2008, que atingiu a economia mundial, é comparada a uma das crises mais fortes desde a crise de 1929.